16º FESTIVAL INTERNACIONAL DE ARTE ELETRÔNICA SESC VIDEOBRASIL

Acontecerá no Sesc da Avenida Paulista, de 30 de setembro a 25 de outubro de 2007.
Informações 11 3645-0516 | info@videobrasil.org.br

Convidados:

Marcel Odenbach

Considerado um pioneiro da videoarte, o artista alemão ganha a maior mostra de sua obra já realizada na América Latina, com instalações, exibição de filmes, palestra e uma peça inédita, que será comissionada pelo Festival e pelo SESC São Paulo. As questões políticas e sociais estão no centro das obras recentes de Odenbach, que já foram mostradas no MoMA de Nova York e nas Documentas 6 e 8 de Kassel. Seu trabalho usa excertos de filmes clássicos, newsreels e fotos pessoais para explorar o papel formador das imagens do passado na percepção do presente. Em Disturbed Places – Five Variations on India, instalação que conclui para o Festival, o artista sobrepõe cinco historietas que, segundo ele, “levam o espectador, cada uma, a uma nova viagem pela Índia”.

Peter Greenaway

O cineasta britânico traz ao SESC Paulista novos desdobramentos do projeto Tulse Luper Suitcases, que desenvolve há quase dez anos. Centrado na história de um escritor que viveu entre prisões e desapareceu em 1989, deixando seu testemunho em 92 maletas, Tulse Luper busca modelos expandidos de cinema: envolve exposições, uma trilogia de filmes, sites, games e sessões de VJ. A participação do autor de O cozinheiro, o ladrão, sua mulher e o amante (1989) no 16º Videobrasil começa com uma performance de live image e inclui instalação, palestras e mostra de filmes. No blog Peter Greenaway no Videobrasil, aberto aos comentários do público, o artista discute sua participação no Festival com a curadoria e fala de Tulse Luper Suitcases.

Kenneth Anger

Um dos inventores do cinema underground americano, Anger foi pioneiro no uso de imagens editadas a partir de música pop e criou os cortes que se tornaram os fundamentos do videoclipe. Seus filmes, de tom surrealista, são povoados por fetiches gay e referências ao ocultismo. No Videobrasil, sua obra ganha uma retrospectiva inédita no país, com nove curtas realizados entre 1947 e 1972, inclusive Fireworks, que rodou aos vinte anos. Ao lado de obras de Jean Genet, Luther Price, Derek Jarman, Andy Warhol, Jack Smith, James Bidgood e Isaac Julien, compõem a curadoria Um punhado de prazeres sublimes, de Rodrigo Novaes, dedicada a artistas que exploraram os limiares do filme e foram marginalizados pela indústria do cinema.

Anúncios

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s