ARTE CONTEMPORÂNEA – AQUISIÇÕES RECENTES (1990-2005) | Até 28 de Outubro

Exposição reúne 61 obras que chegaram ao acervo do Museu de Arte Contemporânea da USP nos últimos quinze anos.

De 1  a  28 de Outubro de 2007
Terça a domingo das 10 às 19 horas (Segunda fechado)
MAC USP Ibirapuera
Pavilhão Ciccillo Matarazzo, 3° piso (prédio da Bienal) – Parque Ibirapuera
(11) 5573-9932

Entrada franca.

ACERVO MAC-USP | DOAÇÕES DOS ÚLTIMOS 15 ANOS

Esta exposição reúne sessenta e uma obras doadas, cedidas em comodato ou transferidas pela justiça ao Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo nos últimos quinze anos. Trata-se de chamar a atenção para a importância desse tipo de iniciativa no que se refere à atualização dos acervos dos museus públicos no Brasil. Pretende-se ao mesmo tempo, prestar uma justa homenagem a todos aqueles que conferiram ao MAC USP a missão de depositário destes importantes bens culturais. Nunca é demais lembrar, em um momento em que avançam os processos de privatização no campo da cultura em nosso país, que as coleções públicas são inalienáveis e que, apartadas dos interesses particulares e das disputas de mercado, constituem um patrimônio a ser partilhado não apenas por essa, mas também pelas próximas gerações.

Na qualidade de museu público universitário, o MAC USP depende fundamentalmente do apoio da sociedade para continuar a cumprir o seu papel de reunir, preservar, estudar e divulgar a arte.

Fundado em 1963, o MAC USP posicionou-se sempre como um Museu de arte contemporânea, além de possuir rico acervo nacional e internacional de arte moderna, que originou sua criação.

Foi no MAC USP que nasceu a primeira experiência museológica brasileira voltada para a arte contemporânea.   Ela se afirmou em meados dos anos de 1960, no exato momento em que se projetava internacionalmente a discussão sobre mudanças que estavam ocorrendo na arte, ocasião em que se discutia a re-conceituação dos seus paradigmas. O MAC USP projetava já nesse momento, ações e exposições que mostravam arte contemporânea ao público.

A incorporação de obras fundamentadas na experimentação de novas linguagens e no uso de novos meios foi a base do crescimento do acervo, nas décadas posteriores à sua fundação. A contemporaneidade será a marca principal das décadas de 70 a 90, quando as doações de obras realizadas pelos próprios artistas, colocaram-se como fator principal para a atualização e ampliação qualitativa do acervo do Museu. Já o século XXI chegou trazendo novos desafios. O Museu recebeu recentemente, por determinação judicial, a guarda e a administração provisória de 1478 obras da coleção do Banco Santos, que abrange um significativo conjunto de fotografias contemporâneas, vindo cobrir uma lacuna no acervo da Instituição.

É preciso ressaltar a importância dos comodatos e doações de artistas, ainda atualmente, fato que se destaca nesta exposição.  A doação da obra “Tributo ao Século XXI” de Rauschenberg, feita por ele ao Museu, em 1994, assume forte sentido simbólico, pois na idéia de tributo projeta-se a preocupação e a busca constante do Museu em construir sua inserção no cenário da arte contemporânea.

Fonte: MAC

Anúncios

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s