MANIFESTO DA MÍMICA TOTAL NO CCSP | até 30 de março

É MÍMICA, SIM! MAS CANTA, FALA E GRITA!

Até o dia 30 de Março, no Centro Cultural de São Paulo, a Cia. Luis Louis realiza o Manifesto da Mímica Total, resultado de uma pesquisa intensa que se estendeu por mais de dez anos para a construção de um conceito inédito para a arte da mímica.

“A companhia ressalta que a mímica é sempre lembrada pelo rosto branco e pelo silêncio de seu intérprete. Mas essa é a pantomima, tão popular que muitas vezes gera confusão e identificação com o conceito da Mímica. Na pantomima, o ator é silencioso, com rosto pintado de branco, luvas, executando ilusões no espaço, normalmente com caráter cômico. Mãos e rosto são os pontos centrais da expressão. Seu mais popular artista é Marcel Marceau, morto recentemente aos 84 anos de idade, famoso por dar vida ao Bip, o palhaço que trazia uma singela flor no chapéu.

Marcel Marceau

Mas agora, com o Manifesto da Mímica Total, esta forma de arte se revela de maneira mais ampla e inédita no Brasil e no mundo. A Cia. Luis Louis vem mostrar que a mímica fala, canta, grita e permite uma expressão muito potente e refinada, sem deixar de ser lúdica e popular. Na Mímica Total o ator ativa o máximo de energia vital e está totalmente envolvido com a criação. A afirmação da vida de uma maneira intensiva, positiva e alegre é parte integral dessa proposta. É a junção total, geral e irrestrita do corpo, da voz e da mente.” (Fonte: Release da Márcia Marques.)

PROGRAMAÇÃO DOS ESPETÁCULOS ADULTOS

“SINTOMA”, ÀS SEXTAS-FEIRAS, 21H. ATÉ 21 DE MARÇO.

As atrizes Ângela Sassine e Paula Petreca encenam a mesma persona e suas dicotomias: uma dama, respeitada, digna, que é abalada por um sintoma desconhecido. Ela está num consultório e, obrigada a aguardar na sala de espera, depara-se com seus desejos e valores. Ela entra em um embate cômico, pois quanto mais ela atira para longe seus anseios, mais rapidamente eles retornam, num jogo de perturbação constante.
Texto, concepção e atuação: Ângela Sassine e Paula Petreca.
Direção: Silvana Abreu.

“SISTEMA NERVOSO”, AOS SÁBADOS, 21H. ATÉ 22 DE MARÇO.

Na peça, um lutador cai nocauteado na lona após um duro golpe. Seu sistema nervoso entra em pane, é como se houvesse um corte súbito de energia. Durante alguns segundos ele tenta recuperar sua consciência. Sem conseguir diferenciar sonho de realidade e correndo o risco de morte, ele é bombardeado por emoções e questionamentos sobre sua vida, seus desejos, sua força e seus medos. Em “Sistema Nervoso” a montagem é baseada na movimentação dos personagens de histórias em quadrinhos.
Direção, Criação e Atuação: Luis Louis e André Capuano.

“RISCO DE VIDA”, AOS DOMINGOS, 20H. ATÉ 23 DE MARÇO.

Com atuação de Silvana Abreu, a peça conta uma trajetória do ser humano desde sua infância até a idade adulta. Nesse momento, teoricamente, está pronto para se tornar engrenagem no mundo. Mas algo ainda pulsa nos subterrâneos do seu corpo domesticado, a poesia ainda manda sinais de um mundo abafado. Chega o momento da escolha fatal: permanecer no mundo confortável e seguro ou arriscar-se na travessia para o impossível. No momento de encarar o risco de vida, a alegria será seu grito de resistência.
Texto, concepção e atuação: Silvana Abreu.
Coordenação: Luis Louis.
Assistência de direção: André Capuano.

PROGRAMAÇÃO DO ESPETÁCULO INFANTIL

“MISSÃO SUPER HIPER IMPORTANTE”, AOS SÁBADOS E DOMINGOS, 16H. ATÉ 30 DE MARÇO.

Lene, Marcelo e Jojô são três amigos que sabem brincar com a imaginação, e assim, vivem grandes aventuras sem sair de casa. Um dia o trio vai para uma ilha deserta em uma missão super hiper importante: encontrar um livro encantado que irá revelar um grande segredo. Nessa ilha, como num desenho animado, eles cantam, dançam, brincam e vivem histórias emocionantes como conversar com peixes no fundo do mar, dançar com o vento no topo de uma grande montanha, enfrentar animais ferozes na floresta e muito mais…
Elenco e criação: Jô Rodrigues, Lene Bastos e Marcelo Pessoa.
Coordenação: Luis Louis.
Texto: Lene Bastos.

ATIVIDADES EXTRAS

A Oficina de Mímica Total, com a Cia. Luis Louis, começou no dia 21 e continua. Os próximos dias serão 06 e 13 de Março, quintas-feiras, das 16h às 18h.

Aula Espetáculo com Luis Louis será no dia 20 de Março, quinta-feira, a partir das 20h. (Quero participar desse. Vamos, gente?)

Uma hora e meia antes dos espetáculos, a bilheteria disponibiliza os ingressos por R$ 10 e R$ 5 (estudantes, aposentados, idosos acima de 60 anos, deficientes e professores da rede estadual).

Hoje (1/3) e amanhã (2/3) vigora o precinho popular! Olha que maravilha! Por apenas R$ 1,90 você aprecia os espetáculos. Corra! Nesses dias a fila costuma formar-se bem cedo!

Centro Cultural São Paulo – Sala Jardel Filho
R. Vergueiro, 1000, Paraíso. Tel.: (11) 3383-3400.

Leia sobre o Luis Louis e a pesquisa feita pela Cia., no restante do post.

Por Darlene Carvalho, com a colaboração de Márcia Marques.

LUIS LOUIS

No Brasil, a mímica, muito associada ao Teatro Físico, tem como um dos expoentes o ator e diretor Luis Louis. Em 1997, Luis Louis voltou de uma temporada de cinco anos na Inglaterra, onde estudou Mímica e Teatro Físico com Desmond Jones, Steven Wasson e Corinne Soun. Para exemplificar o nível de qualidade do trabalho de Louis, a página oficial na internet do mestre Desmond Jones (http://www.dilly2.demon.co.uk/school.htm), cita apenas três nomes de ex-alunos que se destacaram entres milhares que passaram por lá, vindo de mais de 50 países. Um deles é Luis Louis.

A partir de 1998, Louis estabeleceu parceria com Lene Bastos e a partir de 2000 entrou em contato com as Ciências Cognitivas por meio de Christine Greiner e isso foi determinante nas pesquisas realizadas na época pelo grupo. De lá para cá, já foram produzidos os espetáculos “Linhas Cruzadas”, “Mentecapta” e em 2003, “Brasil Deportado”, espetáculo que teve várias temporadas em São Paulo. Depois vieram “Revistando 2003” e “Elas, Delas, Para Elas”.

Em 2002, Luis Louis foi o orientador de Mímica do Projeto Solos do Brasil. Nessa ocasião, concretizou-se definitivamente a parceria com Silvana Abreu, que além de atriz, também foi idealizadora e produtora desse projeto focado no estudo do Teatro Essencial. No mesmo período, também se deu o encontro da Cia. Luis Louis com o filósofo Luiz Fuganti e seus questionamentos sobre a arte e o problema da expressão.

Em 2005, Luis Louis fez a preparação de mímica para Stênio Garcia, Fernanda Montenegro, Osmar Prado, Rodrigo Santoro, Letícia Sabatella, Ricardo Blat e todo o elenco da minissérie “Hoje é Dia de Maria – 2° Jornada”, levando o conceito da Mímica para a estética do audiovisual.

Enfim, depois de vários anos se aprofundando na pesquisa do Teatro Físico, foi no início de 2006 que a Cia chegou a um momento significativo de transformação, de salto qualitativo da pesquisa, que convergiu na integração entre filosofia, ciências e arte, entendendo a Mímica como ato de corporificação da vida, e não só como um gênero estético. O corpo agora é entendido como o próprio pensamento. Nasce aí o conceito da Mímica Total.

Atualmente Luis Louis também é responsável pela cadeira de Mímica e Teatro Físico na Faculdade de Comunicação e Artes do Corpo da PUC-SP.

MÍMICA TOTAL

Todo o evento Manifesto da Mímica Total está baseado na pesquisa da Mímica Total, que é um mergulho nos conceitos do Teatro Físico, em união com pesquisas recentes das ciências cognitivas e da filosofia. É um aprofundamento na idéia do ato total, que integra pensamento, corpo e voz na figura do ator-criador. Entende a mímica como ato de corporificação da vida, que se manifesta tanto objetivamente (como na Pantomima), como subjetivamente (Mímica Moderna), sem divisões entre razão e emoção. O corpo não é mais considerado um instrumento/máquina a serviço da mente, mas é o próprio pensamento.

É total porque integra os vários gêneros da mímica, criação e obra, corpo e voz, razão e emoção, mente e corpo, indivíduo e coletivo, visível e invisível. É mímica porque é corporificação, é afirmação de um acontecimento, é ação, é criação, é afirmação da vida.

O Núcleo de Pesquisa e Criação da Mímica Total reúne oito artistas-pesquisadores da Cia. Luis Louis para uma pesquisa contínua, cotidiana e aprofundada sobre Mímica Total. O grupo se inspira na linha francesa de pesquisadores – Jacques Copeau, Etienne Decroux, Jean Louis Barrault, Jacques Lecoq; – em união com os mestres da linha russa – Stanislavski, Meyerhold, se estendendo a Grotowski e Eugênio Barba; – além do brasileiro Luis Otávio Burnier, todos eles envolvidos em processos longos e continuados, com resultados extremamente valiosos, ricos e duradouros, que repercutem pelo mundo todo até hoje.

Tem o apoio do Prêmio Funarte de Teatro Myriam Muniz e patrocínio da Petrobrás e Ministério da Cultura.

FICHA TÉCNICA DO PROJETO

Patrocínio: Prêmio Myriam Muniz / FUNARTE – PETROBRAS
Realização: Estúdio Luis Louis & Cooperativa Paulista de Teatro
Coordenação Artística: Luis Louis
Equipe de Criação: Cia. Luis Louis
Mímica Total e Teatro Físico: Luis Louis
Filosofia: Luiz Fuganti
Ciências Cognitivas: Christine Greiner
Ballet: Paula Petreca
Figurino: Fause Haten (costureira: Diva)
Figurino do espetáculo “Sintoma”: Bruna Petreca
Programador visual: Josiel Bastos
Criação de luz: Luis Louis
Sonoplastia: Fernando Mastrocolla
Assessoria de Imprensa: Canal Aberto
Direção de Produção: Lene Bastos e Silvana Abreu
Assistente de produção: Natalia Lopes
Produção: Estúdio Luis Louis
Fotos: Ângela Sassini e Beto de Faria
Vídeos: Beto de Faria

Anúncios

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s