TEATRO DA VERTIGEM DE GRAÇA: HOJE, AMANHÃ E NA VIRADA CULTURAL!

Ontem, tive o prazer de ser uma das espectadoras da peça “A última Palavra é a Penúltima” do Teatro da Vertigem juntamente com meus amigos, sem pagar nenhum tostão!

Algumas observações sobre o espetáculo:

Desejo: Quero ler Deleuze.

Deslumbramento: Eles são mesmo excelentes no que se propõem, conseguem sempre me deixar meio zonza de tão estupefata com a apresentação. Ótimos atores!

Recomendação: Se você não for, o arrependimento poderá ser inevitável.

Alerta: Ontem, segundo a moça que estava distribuindo os ingressos, apenas 50 pessoas poderiam presenciar cada apresentação. Se bem que no release que a Márcia me mandou, a lotação máxima é de 100 pessoas. Agora entendi. São 100 no total, 50 pessoas assistindo cada sessão. Se quiser ligar para ter mais certeza: 11. 32552713. Os ingressos são distribuídos com uma hora de antecedência.

Vamos aos detalhes do espetáculo? A Márcia Marques, responsável pela assessoria de imprensa desse espetáculo, mandou-me o release completo com as fotos disponíveis aqui nesse post e que deveria ser postado antes do sábado, mas não se aflija: ainda dá tempo de comparecer. Só fique esperto porque se chegar com apenas uma hora de adiantamento em relação ao horário de início da peça, você corre o risco de ficar sem ingresso. Verdade! Primeiro motivo: Teatro da Vertigem! Segundo motivo: De graça!

Teatro da Vertigem (SP), Cia Zikzira (BH) e o Grupo Lot (Lima-Peru) em

“A ÚLTIMA PALAVRA É A PENÚLTIMA”

Até o 15 de abril os três grupos ocuparão a passagem subterrânea entre o Viaduto do Chá e a Praça Ramos de Azevedo, no centro de São Paulo.

Espaço está fechado há cerca de 10 anos.

A partir de um texto filosófico de G. Deleuze – O Esgotado – e aliando a isso a perspectiva de investigação do universo interpretativo, o grupo Teatro da Vertigem se apropria da criação a partir da “experiência” do corpo do ator e do estudo sobre os conceitos da performance e estréia dia 12 de abril a intervenção cênica “A Última Palavra é a Penúltima”. O local para a encenação será a passagem subterrânea entre o Viaduto do Chá e a Praça ramos de Azevedo, no centro, em S.Paulo. A ocupação espacial e o confronto das inquietações artísticas dessas três companhias poderão ser vistas de 12 a 15 de abril de 2008 e em seguida no dia 26, na Virada Cultural.

Esse novo trabalho se propõe à criação de um intercâmbio cultural ao convidar para uma criação e direção colaborativa as companhias Zikzira (Belo Horizonte – MG / Londres – Inglaterra) e o grupo LOT (Lima – Peru). Interessadas na exploração do espaço público, as três companhias têm em suas trajetórias pesquisas que relacionam o teatro com a dança, artes plásticas e cinema (no caso da ZikZira, de BH) e intervenções em espaços urbanos (Vertigem, de SP e LOT, do Peru).

Teatro da Vertigem

O Teatro da Vertigem, depois de pesquisar a respeito da identidade brasileira em que a companhia percorreu o país de São Paulo até o Acre, realizou o espetáculo “BR-3”, sua primeira intervenção em um espaço público aberto: o Rio Tietê. Depois de dois anos e meio com esse projeto, o grupo experimentou pela primeira vez a utilização de um espaço de teatro convencional, dessa vez para a realização da leitura cênica de “História de Amor – últimos capítulos”, de Jean-Luc Lagarce, trabalho que marcou também um primeiro contato com um texto não desenvolvido em processo colaborativo pela companhia.

Concomitante às apresentações da leitura cênica, em janeiro de 2007 o grupo completava 15 anos e com o apoio da Prefeitura de São Paulo, realizou a exposição “Vertigem: 15 anos de processos colaborativos”.

Agora, em 2008, o Teatro da Vertigem debruça-se sobre esse novo trabalho: “A última palavra é a penúltima”, tema inspirado a partir de “O Esgotado” de G. Deleuze.

LOT – Asociación para la Investigación Teatral La Otra Orilla

Associação cultural sem fins lucrativos criada no Peru em 1998 com direção de Carlos Cueva, formada por artistas provenientes de diversas linguagens artísticas. O grupo tem como finalidade apoiar e promover a investigação teatral incluindo aí a recuperação da memória social através de experiências multidisciplinares e performáticas, capazes de criar metáforas que refletem aspectos de Nosso tempo. LOT rompe com a forma representativa do teatro tradicional utilizando elementos de situações cotidianas junto a elementos da tecnologia moderna.

O grupo já produziu espetáculos como Ecumene y Terrano II, ambos produzidos pelo Festival Internacional de Danza y Teatro de Lima de 1998 e 1999; as Zonas Fronterizas, espetáculos em lugares inéditos ou em áreas públicas abandonadas do Centro Histórico de Lima. LOT também já produziu seis Zonas Fronterizas: Hotel Bolivar (1999), La Casa Mujica (2000), Galerías Boza (2001), Materia Material (2002) e Librería Erótica I (2003), a última denominada Zona Fronteriza Simposio realizada em julho de 2005.

Zikzira Teatro Físico

Zikzira é uma companhia que trabalha por projeto baseado em um grupo de performers e atores freelance e convida artistas de outras mídias para colaborarem em projetos individuais. A companhia foi fundada em Londres em 1999 por Fernanda Lippi, bailarina e coreógrafa brasileira e André Semenza, cineasta europeu. Por meio de um processo multidisciplinar e colaboracionista Zikzira Physical Theatre cria performances viscerais e complexas, trazendo abordagem site-specific para locações não convencionais, tanto para cinema quanto para palco.

A companhia apresentou-se em Londres e produziu vários curtas-metragens (tal como Fliessgleichgewicht 2002), performances em lugares inusitados no Brasil como Quem viu, viu (São Paulo 2001) e Urbe (Rio de Janeiro 2002).

Em 2003, a Zikzira lançou o filme As Cinzas de Deus (www.ascinzasdedeus.com), aclamado pela crítica. O primeiro filme de dança contemporânea dessa espécie, o filme incorpora a linguagem da dança, do cinema e traz o renomado produtor e compositor Kid Loco assinando o mix da trilha sonora, e produzido por Maverick Motion and Swiss TV DRS. Verissimilitude (2004/2005) foi uma performance ao vivo criada para o palco, baseada no texto de Michel Foucault, As Quatro Similitudes e o estudo dos extremos do instinto humano, apresentado no Riverside Studios (Londres) Hebbel am Ufer (Berlin) e nas principais capitais do Brasil. Nu går vi é um filme locado na Suécia nos meados do inverno, com a trilha sonora original de Hafler Trio, está em fase de pós-produção com lançamento previsto para 2008.

QUANDO?

Começou no dia 12, mas hoje e amanhã (14 e 15 de Abril) e no dia da Virada Cultural terão mais apresentações, sempre às 19h e 21h.

ONDE?

Passagem Subterrânea Viaduto do Chá X Praça Ramos de Azevedo. Em frente ao Shopping Light do Viaduto do Chá tem uma entrada e em frente à loja Casas Bahia tem outra entrada. A fila forma-se em frente à entrada do Viaduto do Chá.

Veja a ficha técnica da peça teatral no restante do post.

Por Darlene Carvalho e Márcia Marques.

FICHA TÉCNICA

“A ÚLTIMA PALAVRA É A PENÚLTIMA” – Intervenção Cênica a partir do “O Esgotado” de G. Deleuze

Direção – André Semenza e Fernanda Lippi (Zikzira – BH/MG/Brasil – Londres/Inglaterra), Carlos Cueva (LOT – Lima/Peru), Eliana Monteiro (Teatro da Vertigem – SP/Brasil)

Atores LOT

Érica Aguilar, Lucía de Maria, Rafael Mendieta

Atores TEATRO DA VERTIGEM

Flávia Maria (cantora), Luciana Schwinden, Marília De Santis, Miriam Rinaldi, Pardal, Roberto Audio, Sergio Siviero

Atores ZIKZIRA

Marçal Costa, Macarena Campbell.

Desenho de Luz – Guilherme Bonfanti

Direção de Arte – Marcos Pedroso

Engenheiro de Som – Kako Guirado

Figurinos – Marcos Nasci

Trilha Sonora – The Hafler Trio

Mixagem

Evaldo Luna/Estúdio Três Orelhas

Laboratório de Performance

Eleonora Fabião

Coordenação de Grupo de Estudos

Peter Pál Pelbart

Operador de luz – Camilo Bonfanti

Contra regra – Zan Martins

Fotografia – Eduardo Marin e Nelson Kao

Designer Gráfico – Luciana Facchini

Apoio Artístico ao Projeto: Antônio Araújo

Assessoria de Imprensa: Márcia Marques – Canal Aberto

Administração: Janaína de Assis e André Oliveira

Assistente de Produção: Elisete Jeremias

Produção Executiva: Gisele Galindo

Direção de Produção: Henrique Mariano (H2E Produções) e Teatro da Vertigem

Criação:

LOT (Lima/Peru)

TEATRO DA VERTIGEM (SP/Brasil)

ZIKZIRA (BH/MG/Brasil – Londres/Inglaterra)

Estudos de Performance – Exercício 1

PLATAFORMA – RJ/2007

ATORES
Alexandre Piccini///Carolina Chalita///Carla Freitas///Cris Larin///Guilherme Miranda///José Luiz Jr///Laura Nielsen///Leonardo Miranda///Luciana Schwinden///Nina Moreno///Roberto Audio///Sergio Siviero
Vanderlei Bernardino

Palestrantes – Estética e Filosofia – Hélia Borges///Performance – Michelle Minnick
Câmera
Daniel Peixoto Ribeiro e Guilherme Bonfanti
Edição de vídeo – Elaine César
Trilha do vídeo – André Abujamra
Técnicos de Luz – Jean Carneiro, Fernando Ribeiro e Marcelo Mello.
Assistente de produção – Luana Martau

Anúncios

One Comment

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s