PROJETO ANALISA A CENSURA A LIVROS DE AUTORES BRASILEIROS DURANTE A DITADURA

Uma das primeiras providências dos regimes autoritários é restringir a liberdade de expressão e opinião. Trata-se de uma forma de dominação pela coerção, limitação ou eliminação das vozes discordantes.  Durante a ditadura militar brasileira (1964-1985) cerca de 140 livros de autores brasileiros foram oficialmente vetados pelo Estado.

Doutora em comunicação pela PUC-SP, a professora Sandra Reimão apresenta, no dia 19 de maio, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, parte dos resultados de um projeto que visou fazer o levantamento sistemático das obras censuradas durante a ditadura e traçar um panorama da atuação censória do governo militar em relação a livros, destacadamente obras de autores brasileiros.

A pesquisadora analisou especificamente os casos de Feliz Ano Novo e O cobrador, de Rubem Fonseca, Zero, de Ignácio de Loyola Brandão, Dez histórias imorais, de Aguinaldo Silva, Em câmara lenta, de Renato Tapajós, e os contos Mister Curitiba, de Dalton Trevisan.

Como fonte básica dos dados, a pesquisa utilizou o arquivo de pareceres da Divisão de Censura de Diversões Públicas (DCDP), órgão do Ministério da Justiça, que a partir de 1970 passou a exercer a censura a livros e revistas.

Sandra Reimão é doutora em Comunicação pela PUC-SP, com estágio pós-doutoral na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales. É professora livre docente da USP e autora do livro Repressão e resistência – censura a livros na ditadura militar.

 Sobre o CPF-Sesc
Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.
Além do Curso Sesc de Gestão Cultural – que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas – a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas.

O QUÊ?

Repressão e Resistência: censura a livros na ditadura militar brasileira

Recomendação etária: 16 anos. Número de vagas: 70.

Atividade com tradução em libras. Solicitação deve ser feita no ato da inscrição, com no mínimo dois dias de antecedência da atividade.

QUANDO?

Dia 19 de maio de 2016. Quinta, das 19h às 21h.

QUANTO?

R$ 15 (inteira); R$ 7,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública); R$ 4,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

ONDE?

Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.

Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.


Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30.
Telefone: 11 3254-5600

Informações e inscrições pelo site → sescsp.org.br/cpf — ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.


Colaboração de Rita Solimeo Marin | Publicado por Darlene Carvalho

Comente aqui!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s