MARIA ANTONIA EM FOCO/1968 VOU VER

A conhecida rua Maria Antonia e suas imediações já foram cenário para muito além das Mackretas e eventos universitários. Nos anos 60, com o endurecimento da censura e da repressão política por parte do governo militar, estudantes da Faculdade de Filosofia da USP, ligados a grupos de esquerda, e da Universidade Presbiteriana Mackenzie, ligados a grupos de direita que apoiavam a ditadura, entraram em conflito.

Fato importante no cenário político-cultural da época, o acontecimento ficou conhecido como “batalha da Maria Antonia”. E será debatido por jornalistas, educadores, sociólogos e cientistas políticos, a partir de hoje, 6 de outubro, na mostra 1968 Vou Ver, no Centro Universitário Maria Antonia. A programação inclui mesas de debates, exposição de fotografias, mostra de filmes e lançamento de livros.

Confira a agenda:

1968 Vou Ver
6, 7, 8, 9 e 10 de outubro

Mesa de debates
20 às 22h, salão nobre

Exposição
visitação: 6 de outubro de 2008 a 18 de janeiro de 2009
terça a sexta, das 12 às 21h      
sábados, domingos e feriados, das 10 às 18h

Mostra de filmes
sessões das 12 às 18h, sala 100

Entrada gratuita   
(distribuição de senhas 1 hora antes do início dos debates e exibições de filmes)

Programação completa aqui.

Centro Universitário Maria Antonia
Rua Maria Antonia, 294 Vila Buarque
3° andar – salão nobre
Informações: 3255-7182 – ramal 38

Por Bruna Giovanna

FIM DE SEMANA DO IMPROVISO

Fim de semana chegou, finalmente! 

Depois de uma semana inteira de trabalho, produtiva ou não, chegou a hora de você relaxar. Sim, sim! E se você chegou até aqui sabe que vai encontrar muita coisa bacana! E opção é o que não falta nessa cidade, certo? 

Se você curte jazz, mesmo sem a necessidade careta de ser um profundo entendedor, vai gostar do JazznosFundos. Há algum tempo o lugar já ganhou boa notoriedade, portanto fica bem cheio. Você precisa chegar cedo. No mais, recomendo com toda certeza. Público selecionado, bom preço e música boa! Quer mais o que? 

Ah! E aos domingos rola o projeto Flamenco Matador, com convidados tocando e dançando. Imperdível!

Veja a programação e boa noitada: 

Sábado (20)

O baixista Bruno Migotto apresenta seu trabalho autoral, acompanhado de um super time: Michel Leme na guitarra, Daniel D’Alcântara no trompete, Cássio Ferreira no sax alto, Josué dos Santos no sax alto e flauta, Jorge Neto no trombone e Rodrigo Digão na bateriante.

Domingo (21)

Flamenco Matador!

Praticante de ginástica olímpica desde os seis anos de idade, Mariana Castellano dança flamenco desde 1993. Em 2000 mudou-se para a Espanha, onde passou a ter aulas com grandes mestres como La Truco, Manuel Reyes, Pepa Molina e Talegón de Córdoba.

A combinação entre uma sólida base em diversas formas de dança e sua forte paixão e experiência pelo flamenco culminam num estilo único que se transmite em um alto nível técnico e estético em suas coreografias.

Para acompanhá-la, Conrado Gmeiner na guitarra, Luis Cabrera na sax, Luciano Kathib na percussão e Marcio Bonefon no cante.

JazznosFundos
Rua João Moura, 1076, Pinheiros
Entrada: $13 (não aceita cartões)
Sábado: 19h às 2h
Domingo: 18h à meia-noite
www.jazznosfundos.net

 

Por Bruna Giovanna

VIRADA CULTURAL, É AMANHÃ!

“Como vou fazer para ver tudo o que quero?!”, foi o drama da pessoa que vos fala quando viu a programação da Virada Cultural desse ano. Fiquei de boca aberta, literalmente. Vai ter muita coisa boa! E boa parte das atrações vai acontecer no circuito “alternativo”, ou seja, em cinemas, teatros e centros culturais.

Quem curte uma boa peça pode começar pelo point da boemia teatral de São Paulo – a Praça Roosevelt. As companhias Os Satyros, Parlapatões e Estúdio 184 se apresentarão desde as 18h do sábado (26) até o dia seguinte. As peças serão gratuitas e, por isso, recomenda-se chegar cedo para garantir lugar.

Os interessados em conhecer mais sobre a arquitetura da cidade poderão fazer isso em uma visita monitorada às obras do arquiteto Oscar Niemeyer. Os roteiros, divididos entre o centro da cidade e o Parque Ibirapuera, contarão com monitores que explicarão a importância das obras dentro do contexto histórico paulistano.

Serviço:
Visitas guiadas: 26 e 27 de abril – gratuito
Inscrições: de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, pelo telefone 3032-2499.
Local de saída e chegada: Museu da Casa Brasileira – Av. Faria Lima, 2705.
Duração: aproximadamente 3 horas
Número de vagas por visita: 23

Horários e roteiros dos microônibus:
Sábado, 26/4 – 10h e 14h – visitação às obras no centro de São Paulo
Sábado, 26/4, 11h e 15h – visitação às obras no Ibirapuera
domingo, 27/4 – 14h e 15h – visitação às obras no centro de São Paulo

Outra opção de passeio vai acontecer no MAM e na Pinacoteca do Estado, na noite do dia 26. A intenção é criar um clima de proximidade com a natureza noturna da cidade, portanto dentro do Parque Ibirapuera o público terá lanternas à disposição. Durante o percurso os guias mostrarão o Jardim Burle Max, o monumento Porco Ensebado, a figueira Microcarpa Fícus na Antiga Serralheria, a Praça da Paz e a escultura Aranha. As senhas devem ser retiradas às 18h.

Quem estiver próximo à Praça da Luz poderá fazer visitas guiadas com educadores da Pinacoteca, que também utilizarão lanternas para levar o público às esculturas expostas no parque. As inscrições devem ser feitas 30 minutos antes de cada sessão na recepção do museu.

Serviço:
MAM
Parque Ibirapuera, portão 3
Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº
Sessão: 18h30
Informações: 5085-1313

Parque da Luz
Praça da Luz, 2 – Jardim da Luz
Sessões: 19h, 21h e 23h

Já o Sesc Pompéia terá show em homenagem à era disco com André Abujamra, Paula Lima, Lady Zu, Luciana Mello e Skowa, passando pela montagem de um verdadeiro programa de auditório apresentado por João Gordo e Elke Maravilha e logo depois um belo café-da-manhã. Isso tudo no período entre 22h e 5h, entre o sábado e domingo (26 e 27).

Serviço:
Sesc Pompéia
Rua Clélia, 93 – Pompéia.

Glitter Disco Dance Night
R$ 16,00; R$ 8,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha). R$ 4,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha).
Dia(s) 26/04 Sábado, das 22h às 2h30.

Buzina da Pompéia – auditório ao vivo
R$ 12,00; R$ 6,00 (usuário matriculado, idosos e estudantes com carteirinha). R$ 3,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha).
Dia(s) 27/04 Domingo, das 3h às 5h.

Café-da-manhã
Restaurante/Choperia. Preço único de R$ 9,00.
Dia(s) 27/04 Domingo, a partir das 5h.

Durante a maratona cultural você ainda pode arrumar tempo pra pegar um cinema! O CineSesc terá a madrugada do dia 27 dedicada à exibição de filmes a partir da meia-noite e, nos intervalos das sessões, apresentações e performances. O ciclo se completa com um café-da-manhã.

Serviço:
Cinesesc
Rua Augusta, 2075 – Cerqueira César.

00h00 – Rolling Stones, Sympathy For The Devil
02h00 – Nossa Vida Não Cabe Num Opala
04h00 – Control
Preço único: R$ 9. Por sessão: R$ 12; R$ 6; R$ 3. Pacote para os três filmes: R$ 30; R$ 15; R$ 7,50.

Se ainda sobrar disposição vai rolar o Bailinho na Rua Bento Freitas durante as 24 horas de Virada com aulas e apresentações de dança de salão. Os participantes poderão dançar ao som de ritmos como forró, rock soltinho, gafieira, zouk, bolero, gafieira, samba rock e até country, sob a orientação de professores no palco.

UFA! Agora é só escolher seus preferidos e boa Virada! Com sorte a gente se vê lá!

Por Bruna Giovanna

NELSON RODRIGUES EM CENA!

Está em cartaz até o dia 4 de maio no Centro Cultural São Paulo o espetáculo “17 X Nelson – O Inferno de Todos Nós”, que homenageia a obra de Nelson Rodrigues com uma compilação de cenas de suas peças.

Entre as 17 montagens escolhidas estão: Perdoa-me por me Traíres, Boca de Ouro e Os Sete Gatinhos, interpretadas por nove atores.

Quem assistir à peça terá a oportunidade de relembrar clássicos de Nelson e conferir a influência de textos de James Joyce e da Divina Comédia de Dante Alighieri, já que toda a apresentação se passa no Inferno.

Centro Cultural São Paulo – Sala Ademar Guerra: Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso – Centro. Tel.: 3383-3402. R$ 15. Sexta e sábado, 21h; domingo, 20h. Classificação: 14 anos. Preço popular: R$ 2,00 no dia 11 de Abril, sexta-feira.

Por Bruna Giovanna

FORRÓ COM SAMBA DÁ MISTURA BOA NO TOM JAZZ

Amantes da boa música nacional têm encontro marcado com os músicos Mariana Aydar e Duani na próxima quarta-feira (26), em SP. Acontece o último dia da temporada de shows da dupla à frente do projeto “Forró dá Samba”, que homenageia os gêneros, no Tom Jazz.

Sempre envolvidos com a musicalidade brasileira, ambos possuem boas referências de estrada. Cantor, compositor, multi-instrumentista e produtor musical, Duani já comandou os vocais da banda Forróçacana e hoje se dedica a projetos individuais.

Mariana cantou ao lado da banda Caruá, também da vertente forrozeira, e com o passar dos anos se lançou em carreira solo com o CD Kavita 1, no qual ela se dedica a um repertório de samba e MPB com participações de Leci Brandão e Arlindo Cruz.

Juntos, eles prestigiam o público com interpretações de grandes nomes da cena nacional como Jackson do Pandeiro, Aldir Blanc, Bebeto, João Nogueira e Marcelo Camelo, além de canções próprias.

A mistura promete!

Tom Jazz – av. Angélica, 2.331, Higienópolis, região central, São Paulo, SP. Tel. (11) 3255-3635. 200 lugares. Qua.: 22h (abertura da casa duas horas antes do espetáculo). R$ 20 (pista). Estac. no local.

Por Bruna Giovanna

EXPOSIÇÃO CONTA HISTÓRIA DO MUNDO EM IMAGENS | até 06 de abril

Boa opção aos paulistanos amantes de fotografia. Até o dia 6 de abril acontece a exposição “Magnum 60 anos” na Caixa Cultural da Avenida Paulista, em SP. A mostra reúne imagens históricas feitas pelos maiores nomes do fotojornalismo.

Em 1947, após a Segunda Guerra Mundial, Henri Cartier-Bresson, Robert Capa, David ´Chim´ Seymour, e George Rodger criaram a agência fotográfica Magnum. O que começou como uma cooperativa de fotógrafos independentes se transformou na maior revolução no modo de pensar e fazer fotografia do mundo.

O maior diferencial no trabalho destes profissionais pode ser percebido na valorização do flagrante e o efeito de realidade nas imagens. E para isso valia até arriscar a vida em meio a um tiroteio de guerra. Tudo para alcançar o melhor registro!

Mesmo para quem nunca ouviu falar da Magnum, com certeza já viu alguma das fotos que tem na exposição. Vale a pena conferir, por exemplo, como ficou esta garota afegã, fotografada por Steve Mccurry em 1984, 18 anos após esta primeira clicagem.

“Magnum 60 anos”, de terça a sábado, das 9h às 21h; aos domingos, das 10h às 21h. Caixa Cultural: Galeria da Paulista (Av. Paulista, 2083). Grátis. Infos: 3321-4400.

Por Bruna Giovanna