IRON MAIDEN — THE BOOK OF SOULS (2015)

Iron Maiden The Book Of Souls Cover

Alguns lançamentos são difíceis de analisar, às vezes, pelo histórico da banda e o que ela representa no cenário mundial, outras, pelos acontecimentos desde a gravação até o dia do lançamento ou pelo longo tempo de inatividade sem lançamento de material inédito, entre outros motivos.

The Book Of Souls é o primeiro disco duplo de estúdio da banda e vem com diversos ingredientes novos, além de um drama interno, que fez com que o sexteto britânico segurasse um pouco a data de lançamento do tão aguardado 16º álbum de estúdio. Além desses novos ingredientes, também temos o fato de que Steve Harris (baixista e líder da banda) tenha afirmado em diversas entrevistas que a banda lançaria apenas 15 álbuns de estúdio. Pois bem, esse é o 16º álbum da Donzela, e o que esperar depois de um ótimo “The Final Frontier“?

Bom, chegou o dia!

Um álbum estranho de se ouvir de prima, mas antes de analisar música por música gostaria de ressaltar a qualidade da produção fazendo a banda soar como ao vivo, com peso, timbres de guitarras exuberantes, o baixo na cara e um Nicko McBrain mais solto, tocando bateria com uma fluência inacreditável em partes fáceis ou difíceis mantendo uma pegada firme, precisa, natural e com timbres bonitos. Timbres incríveis é o que não falta nesse extraordinário álbum, além de solos de guitarras com pegada e feeling da primeira até a última nota. É incrível a performance do trio de guitarristas, Dave Murray tocando com precisão e mantendo-se como o rei dos ligados (técnica de guitarra) no mundo da guitarra. Um Janick Gers maluco, rock n’ roll, sujo, imperfeito, feroz e inconfundível. Adrian Smith, gênio!

E o tal Paul Bruce Dickinson, diagnosticado com dois tumores logo após o termino das gravações, o que esperar? Um tumor no nó linfático do lado direito da garganta e outro na língua? Porra, logo na boca e na garganta do cantor? Será que isso afetará o desempenho do vocalista no novo álbum? Ele continua cantando muito, inclusive sua performance nesse álbum é digna de nota 10!

The Book Of Souls

Disco 1

1 – “If Eternety Should Fail” 08:28 (Bruce Dickinson)

O álbum abre de forma bem parecida com “The Final Frontier”, mas o que vem em seguida é um novo Iron Maiden sem deixar de ser Maiden. O refrão é cativante e os riffs de guitarra são deliciosos, mas o que acontece entre 04:54 e 06:10 minutos de música nos remete aos melhores elementos que fizeram o Maiden reinar absoluto no mundo do Heavy Metal. Um Nicko McBrain marcante, preciso e livre, um Steve Harris fazendo do seu Precision Bass o coração de tudo e, as guitarras “cantando” entre intervalos perfeitos. Momento que seria um dos pontos altos em discos clássicos como Powerslave, Somewhere In Time ou Seventh Son of a Seventh son… A música volta repetindo o refrão, e no final um violão, com fraseados flertando com música celta e uma narrativa distorcida por cima de tudo, lembrando a carreira solo de Dickinson.

2 – “Speed of Light” 05:01 (Adrian Smith, Bruce Dickinson)

A música mais direta do trabalho tem uma intro muito legal, com um contagiante cowbell e um berro rasgado o que nos remete a 1990, além do refrão marcante que deve funcionar muito bem ao vivo. Os solos ao estilo Iron Maiden, o primeiro é de Dave e o segundo é de Smith, em seguida uma dobra de guitarra fazendo uma ponte para voltar ao refrão e finalizar com mais um berro visceral. Heavy Metal puro que deixa com gosto de quero mais.

3 – “The Great Unknown” 06:37 (Adrian Smith, Steve Harris)

Aqui está uma música em um universo bem próximo a A Matter of Life And Death. Uma intro de baixo seguida de melodias com guitarras limpas dando climas obscuros. Uma música densa, um pouco mais arrastada com um refrão que soa como um hino. Esta música traz o lado mais progressivo da banda, vários climas, solos e mudança de andamentos. Boa música.

4 – “The Red and the Black” 13:33 (Steve Harris)

A única música escrita exclusivamente por Steve Harris começa com acordes poderosos em seu inconfundível contrabaixo e assim a música segue ao estilão Iron Maiden de ser. A linha de voz segue uma guitarra e vice e versa, e ao chegar no refrão ouvimos os famosos “Ooooh Ooooh!” que Bruce Dickinson interpreta de forma magistral, além de não ter como não fazer comparações com canções longas da banda. É uma música mais densa que “Rime Of The Ancient Mariner“, “Alexander The Great” e “Seventh Son of a Seventh Son“. O refrão gruda logo de cara, diversos solos e dobras de guitarras, viradas de bateria e mudança de tempo constantes. Os guitarristas estão tocando demais nesse álbum! Esta música mantém a linha Prog Metal do Maiden e manda seu recado, excelente música. São 13 minutos que parecem 3.

5 – “When the Rivers Run Deep” 05:52 (Adrian Smith e Steve Harris)

Uma música mais direta que as anteriores com algum elemento que me faz lembrar uma mistura de Somewhere In Time e Brave New World. Não sei se é o timbre da caixa do Nicko que é seco e na cara, os timbres de guitarra da introdução ou as mudanças de andamento e mudanças de timbres de guitarra na parte dos solos. É uma música que mantém a banda em um universo mais progressivo. Ótimo riff principal e o mais puro heavy metal tradicional, uma linha de voz marcante e mais um refrão cativante. Sustenta o álbum em alto nível!

6 – “The Book of Souls” 10:27 (Janick Gers e Steve Harris)

Intro de violão, um riff de balançar a cabeça, uma melodia de voz cativante e um refrão que soa como hino. O china (prato de bateria) conduzindo no contra tempo da um charme e clima oriental no riff principal da música. Aos 05:50 começa uma sessão instrumental que nos remete a 1985, riff rápido e um solo de guitarra com um pedal de wha usado com muita sabedoria. As guitarras trigémeas estão presentes dando peso às melodias, dando suporte ao belíssimo vocal de Bruce Dickinson. Destaque para Janick Gers que sempre demonstra bom gosto na hora de improvisar solos. O disco 1 acaba com um épico digno de faixa título.

Disco 2

1 – “Death or Glory” 05:13 (Adrian Smith, Bruce Dickinson)

“Death of Glory” tem uma intro que pega na veia dos fãs mais ortodoxos da banda, uma melodia vocal inconfundível e um refrão que faz jus ao repertório da banda. A pegada mais progressiva da Donzela continua, investindo em partes instrumentais trabalhadas. Bruce continua soltando agudos rasgados e altos.

2 – “Shadows of the Valley” 07:32 (Adrian Smith, Bruce Dickinson)

A música começa com uma mistura interessante de “Wasted Years” e “Out Of The Silent Planet“, ao entrar a melodia de voz nos deparamos com algo no estilo “Brave New World“. Tem um andamento rápido e o riff martela sua cabeça, fácil de cantar e com riffs cativantes. Mais uma música que agrada novos e velhos fãs.

3 – “Tears Of a Clown” 04:59 (Adrian Smith, Steve Harris)

Uma música que lembra bastante a carreira solo de Bruce Dickinson, principalmente pela entrega completa em sua interpretação. Após o refrão, uma sequência instrumental “quebradeira” e um solo de guitarra muito bem colocado, lindo e limpo, com uma pegada e notas escolhidas com muito cuidado. Os arranjos de guitarra durante os versos são dignos de nota assim como o casamento perfeito entre baixo e bateria. A letra é uma alusão à vida e à morte do ator Robin Williams. Para a revista Rolling Stones, o próprio Dickinson declarou “Tears Of A Clown’ [Lágrimas de Palhaço], que fala sobre Robin Willians. Eu me perguntei como ele poderia estar tão depressivo quando sempre pareceu ser tão feliz”. O cantor disse ainda que por mais que essa letra não tenha sido escrita por ele é a que mais gosta em todo o álbum.

4 – “The Man of Sorrows” 06:28 (Dave Murray, Steve Harris)

Iron Maiden é uma banda livre de baladas, as músicas que mais se aproximam disso são sempres pesadas com mensagens bem profundas e densas, além de instrumentais marcantes. The Man of Sorrows é a única música do álbum que tem a assinatura do guitarrista Dave Murray, então pode esperar solos de guitarra. A música manda seu recado com louvor. Belíssima!

5 – “Empire the Clouds” 18:03 (Bruce Dickinson)

A música mais longa da história da banda e a mais inovadora desde os anos 80. No piano, melodias simples e belíssimas, um violoncelo aparece para dar um auxílio ao clima. As guitarras são sutis no começo, enquanto Nicko McBrain sutilmente ruffa os tambores. Bruce mais uma vez dá aula de interpretação e, é claro, de canto. O refrão emociona e depois disso vem uma “saraivada” de riffs atras de riffs, mostrando que a banda continua em forma. Diversos riffs vão aparecendo costurando a história da banda, às vezes parece que estamos em 1981, em outros momentos, em 92 e em alguns outros em 2010. Uma colcha de retalhos, costurados com muita competência e sabedoria. A música é muito boa e empolgante e fecha esta obra surpreendente com louvor.

Definitivamente não é um disco de uma banda em final de carreira, tudo que se ouve no álbum é tocado com muita garra e segurança, deixando a impressão de que estamos presenciando mais um momento épico na história do heavy metal. A produção é assinada por Kevin Shirley e co-produção do próprio Steve Harris. A arte é assinada por Mark Wilkison, que havia assinado outros trabalhos da banda (Live At Donington, The Wickerman, Out of the Silent Planet, Eddie’s Arquives e Best of the B-sides).

Agora, só nos resta esperar o novo Eddie Force One pousar em terras tupiniquins. Aparentemente, o tour será gigante, assim como o álbum. O novo avião da banda é um Boing 747-400 que é quase o dobro do tamanho do antigo avião. A mudança foi feita pela quantidade de equipamento que será utilizada no próximo tour. Mas isso é assunto para outro bate papo, vamos curtir um pouco mais o The Book Of Souls que é simplesmente fantástico!

Nota 9,5


Texto e Publicação de Allan Marcus — http://allanmarcusds.wix.com/guitar
Anúncios

SHOW DO IRON MAIDEN (26/03/2011)

A boa notícia é do Iron Maiden! Felizmente eles adoram o Brasil e vão pousar aqui em São Paulo com o Ed Force One para o show no Estádio do Morumbi que faz parte da turnê mundial “The Final Frontier”, título do álbum mais recente da banda.

O quê?

Iron Maiden — The Final Frontier World Tour 2011

Quando?

Sábado, 26 de março de 2011.
Abertura dos portões: 15h.
Horário do Show: 21h30.

Quanto?

Pista Premium – R$ 350,00
Pista – R$ 190,00
Cadeira Inferior A  – R$ 220,00 Esgotado
Cadeira Inferior B – R$ 220,00 Esgotado
Cadeira Coberta Azul – R$ 250,00 Esgotado
Cadeira Coberta Vermelha     R$ 250,00 Esgotado
Cadeira Coberta Laranja – R$ 250,00
Cadeira Premium Azul – R$ 300,00
Arquibancada Azul – R$ 100,00
Arquibancada Vermelha – R$ 100,00
Arquibancada Laranja – R$ 100,00
Arquibancada Especial Vermelha – R$ 120,00
Cadeira Premium Laranja – R$ 300,00

(Informações sobre disponibilidade de ingressos de acordo com consulta feita no dia 22/12/2010 às 15h.)

Clique aqui para comprar seu ingresso.

Onde?

Estádio do Morumbi
Praça Roberto Gomes Pedrosa, s/n -São Paulo – SP (mapa)

Por Darlene Carvalho

IRON MAIDEN FARÁ SHOW NO AUTÓDROMO DE INTERLAGOS EM 15/03/2009

Confirmado o show da banda IRON MAIDEN aqui em São Paulo, no Autódromo de Interlagos, no dia 15 de Março de 2009Os ingressos estão à venda a partir de hoje, 02 de Dezembro de 2008, e custam entre R$ 140 e R$ 350, com disponibilidade 30% da quantidade de ingressos para meia-entrada destinada a estudantes, aposentados, professores da rede pública estadual e maiores de 65 anos.

Atualização em 03/02/2009: Ingressos para a Pista Premium esgotados.

AUTÓDROMO DE INTERLAGOS
Av. Senador Teotônio Vilela, 261 – Interlagos – São Paulo (SP)
Tel.: (55 11) 5666-8822.

Como comprar seu ingresso:

Call center (4003-1527) e internet. Essas duas formas inclui taxa de (in)conveniência de 20% sobre o valor de face do ingresso mais taxa de entrega. Se o ingresso for retirado na bilheteria paga-se R$ 5 e a taxa para entrega em domicílio pode variar a partir de R$ 12. Enfim, taxa é o que não falta!

Se preferir comprar direto na bilheteria, anote o endereço: Anhembi – Av Olavo Fontoura, Portão 21. Funciona das 10h às 18h e você pode pagar com dinheiro, cartões de crédito (Visa, Mastercard, Diners) e cartões de débito (Redeshop, Maestro e Visaelectron).

A censura é de 14 anos, mas falei com a Jaqueline do Call Center Live Pass e descobri que é possível assistir o show do Iron Maiden se a pessoa que tiver menos de 14 anos de idade. Para isso, é preciso ter e apresentar uma autorização judicial além de estar acompanhado com os pais ou responsável.

Por Darlene Carvalho

Informações da Mondo Entretenimento, Whiplash e site oficial do Iron Maiden.


JUNHO 2008 – 05 ANOS DE BLACKMORE ROCK BAR

UAU! Nesse mês tem muitos covers bons, minha gente! Vejam a programação disponível no site!Constam Echoes (Pink Floyd Cover), Unscarred (Pantera Cover), Damage Inc. (Metallica Cover)Sim! Com aqueles caras muito bons na coisa! — , Snake Bite (Whitesnake Cover), Rainbow Cover, Children of the Beast (Iron Maiden Cover)… Ah!!! Depois da novidade, nada de ficar em casa não! Corujas, a noite vos espera!

Além de ser aniversário com esse monte de presentes pra gente, temos a chance de entrarmos na faixa lá. Como? É só mandar um email para o Rock on Stage com seus dados e detalhes sobre o dia em que pretende estar presente no Blackmore, desde que seja a sexta-feira ou o sábado. Certo? Então, corra! A promoção só é válida até às 16h de hoje, 05 de Junho. Faça isso e torça pra você ser o sortudo que farei a mesma coisa… Ah! Só pra facilitar mais ainda, ao entrar no site, clique em Promoções.

Veja quem estará no Blackmore nesse fim de semana:

Sexta-feira clássica, 06 de junho, 22h.

RAINBOW COVER

Formada por Cesar Santana (vocal), Fernado Piu (guitarra), Rodrigo Mantovani (baixo), Daniel Labó (bateria) e Catia Lee (teclados), a banda interpreta com perfeição os clássicos do Rainbow das fases Joe Lynn Turner e Dio!


Eu vou pedir Kill the King!!! Entre outras, claro!

SNAKEBITE (WHITESNAKE COVER)

Formada pelos músicos Cesar Santana (vocal), Fernando Piu (guitarra), Rodrigo Mantovanni (baixo), Catia Lee (teclado) e Marcelo Sansão (bateria) a banda Snake Bite promete desfilar os grandes clássicos do Whitesnake nessa noite especial!

WHISPER ROCK TRIBUTE (COVERS VARIADOS) – abertura

Formada por Catia Lee, David Prieto, Marcio Nakamura e Edgar Leite, músicos de destaque no cenário rock de São Paulo, a banda Whisper interpretará os grande hits das décadas de 80 e 90. Por possuir vocal feminino acrescido de sampler e batidas eletrônicas, a banda Whisper traz para seus show, fidelidade e releituras bem surpreendentes.

Homem paga R$ 10 até as 23h, R$ 12 após as 23h.
Mulher: VIP até as 23h e R$5 após as 23h.
(Que maravilha!!!)
E quem for ao show do Megadeth e depois apresentar o ingresso lá no Blackmore, paga apenas R$ 8 + 01 cerveja em lata (Nova Schin). (É mesmo! Amanhã tem show do Megadeth!)

Sábado da Donzela de Ferro, 07 de Junho, 22h.

CHILDREN OF THE BEAST (IRON MAIDEN TRIBUTE BAND)

Reconhecida como a primeira e única banda da América Latina a constar no  website oficial do Maiden e, conseqüentemente, ser o tributo oficial brasileiro,  a Children é formada por Sérgio Faga ‘Bruce Dickinson’ (vocal), Piotr ‘Adrian Smith’ (guitarra),  Lely Biscassi ‘Dave Murray’ (guitarra), Raphael Gazal ‘Janick Gers’ (guitarra), Lennon Biscacci  ‘Steve Harris’ (baixo) e Eric Claros ‘Nicko Mcbrain’ (bateria). Com um cuidado especial na execução dos clássicos do Iron Maiden e ainda na decoração e performance de palco, a banda apresentará nesse sábado especial,  o álbum “Piece of Mind” na íntegra! – Imperdível!!!

Homem e Mulher pagam R$10 até às 23h, R$12 depois desse horário.

Domingo FBI (Festival de Bandas Independentes), 08 de Junho, 18h.


MESS
Atualmente está gravando e compondo para produzir seu primeiro disco. Quer ver um trecho da música “Por Trás dos Olhos” da banda Mess no 1° Festival de Bandas 2007? Clique aqui.


SINNERS OF ARCADIA


EYES GAYA
Vocal: Mário Kohn | Teclado: Flavio Sallin | Baixo: Rodolfo Liberato | Guitarra: Ivan Pintaúde | Guitarra: Pedro Henrique | Bateria: Ricardo Laet | Produção: Danniel Costa.


DREAM VISION
Foi no blog Coluna Escuta Essa – Bandas Novas que achei essa foto da banda Dream Vision, recomendo a leitura do post!


4F50

Alan – Guitarra/VocalCarlosBateria | RafaelGuitarra | ThiagoBaixo
No blog da banda é possível saber mais sobre os integrantes, a carreira musical da banda e a agenda de shows. Ouça aqui o som dos caras!

As bandas SPECTROZ, FLIPING OUT e LOGIC REVERSE também apresentarão seus repertórios nesta edição do FBI.

Homem/Mulher pagam R$12 (na porta) e R$10 (antecipado com as bandas).

Blackmore Rock Bar Alameda dos Maracatins, 1317. Moema.
Reserva de mesa apenas por email: blackmore@blackmore.com.br

Por Darlene Carvalho
Colaboração de Lu Wolff.

ROTEIRO DA VIRADA CULTURAL 2008 | 26 e 27 de Abril


Foto da Cidade de São Paulo, parque do Ibirapuera, por Fabio Raphael.

Mais uma vez, São Paulo será palco de inúmeros eventos culturais para todos os bolsos, gostos e idades. A novidade da vez? A virada cultural, claro, inspirada no evento chamado Noites Brancas (Nuit Blanche) parisiense. Sabia?

A virada cultural é protagonista de um enorme investimento financeiro da prefeitura e acontece no final deste mês. A programação já está montada. Observe a oferta generosa de eventos gratuitos! O difícil é se dividir entre tantas coisas bacanas que estão previstas para a data. Começa no dia 26 (sábado), às 18h e termina às 18h do dia 27 (domingo). Para quem não tem veículo próprio, a coisa fica bem fácil: 24 horas ininterruptas de circulação de ônibus, metrô, trem, para que a gente possa acompanhar diversos eventos em todos os cantos da cidade.

Ai! Que ano maravilhoso! Depois de tantas surpresas maravilhosas como o Deep Purple, Iron Maiden, Ozzy, Helloween e Gamma Ray que fará show no dia 20 desse mês, adivinhe quem está na programação? Paul Di’Anno! Sim! Fará um show na Praça da República e está confirmado que ele vai tocar o álbum Killers (vide capa acima) na íntegra! Ai! Eu morro! Meu Deus!

Casa das Máquinas – participação em um festival de 1970.

E muitas outras atrações como Casa das Máquinas, O Terço, Derrick Green do Sepultura e Andreas Kisser, Ultraje a Rigor… Confira a programação Rock República!


Praça da República por Lu Barcelos.

Zé Ramalho que tem músicas maravilhosas como Chão de Giz, Beira-Mar, Avohai, também estará na Virada Cultural! Aproveite!!!

Já teve a chance de ver o Teatro da Vertigem? Vi a exposição que teve lá na Galeria Olido com diversos materiais desse grupo teatral que incluía alguns vídeos com cenas das peças do grupo, além de uma leitura dramática. Mais uma vez, poderei apreciar o trabalho deles. Demais!!! Vamos, gente! (No momento em que eu estava redigindo esse post, recebi um email da minha querida Márcia Marques com detalhes das apresentações do grupo. ÊBA! Aguarde por isso no próximo post que publicarei aqui.)

E pra quem é maluco por cinema, fique de olho na programação do CineSesc que começa com a sessão Um Trio de Virada e exibe Rollings Stones – Simpathy for the Devil, documentário do Jean-Luc Godard, seguido do Nossa Vida não Cabe num Opala (Brasil, 2006) e o Control. Esse último é sobre o Joy Division, focado na vida do vocalista Ian Curtis. Mas essa sessão matadora não é de graça! Os preços variam de R$ 30 a R$ 7,50.

Hein? Cinema de graça? Melhor ainda!!! Olha só, sob a laje da Praça Roosevelt terá a Virada das Vampiras, curadoria de Carlos Reichenbach, com filmes relacionados ao vampirismo, durante 24h. E tem mais! Mostra Internacional de Cinema na Virada na Praça do Patriarca. Busque no site mais informações.

O Balé da Cidade de São Paulo estará encantando a todos os presentes no Anhangabaú! Que maravilha! E bem pertinho dali, no Teatro Municipal, estará acontecendo um festival de mpb.

Quando amanhecer o dia 27, domingo, às 6h, tome um café bem servido lá na Casa das Rosas!

DESTAQUES DA VIRADA CULTURAL 2008

EVENTOS COM DURAÇÃO DE 24H

INSTRUMENTAL BRASILEIRO no Vale do Anhangabaú – Boulevard São João.

BOTECO DE BAMBAS – SAMBA DE MESA
no Largo Santa Efigênia.

PIANO NA PRAÇA — só música ao som de piano — na Praça Dom José Gaspar

RODA DE CAPOEIRA: HOMENAGEM AOS MESTRES DA VELHA-GUARDA DA CAPOEIRA DE SÃO PAULO no Largo do Paissandu.

CANJA ROCK-BLUES na Rua Barão de Itapetininga.

BLOCO DA VIRADA – Carnaval nas ruas do Centro.

FILMES DO MINUTO na Praça do Patriarca.

FESTIVAL INTERNACIONAL DE CURTA-METRAGENS DE SÃO PAULO na Praça Ramos.

DIA 26 DE ABRIL, SÁBADO:

18h

O TERÇO na praça da República.

VAMPIRAS – Vampyres (Inglaterra – José Ramón Larraz – 1974) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

RASCUNHOS POÉTICOS na Casa das Rosas.

18h50

PERFORMANCES DIVERSAS DE DANÇA no Palco de Dança do Anhangabaú.

19h

APRESENTAÇÃO DE TAIKÔ no Museu da Língua Portuguesa.

19h30

DESCONCERTOS ERÓTICOS (leitura de poemas eróticos) na Casa das Rosas.

20h

LÁBIOS DE SANGUE – Lèvres de Sang (França – Jean Rollin – 1975) – sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

21h

CECÍLIA AIMÉ (cantora que mescla tango com poemas de Jorge Luís Borges) na casa das Rosas.

CONCERTO DA ORQUESTRA JOVEM TOM JOBIM “AMÉRICAS E ÁFRICAS” no Auditório Simón Bolívar, Memorial da América Latina.

21h30

CASA DE MÁQUINAS na praça da República.

22h

GLITTER DISCO DANCE NIGHT na Choperia do Sesc Pompéia. Termina às 02h30.

ESCRAVAS DO DESEJO – Les Lèvres Rouges (Bélgica – Harry Kümel – 1971) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

BALÉ DA CIDADE DE SÃO PAULO no Palco de Dança do Anhangabaú.

23h

TOM ZÉ na Casa das Rosas.

ZÉ DO CAIXÃO CONTA HISTÓRIAS DE TERROR no Centro Cultural da Juventude e segue com todo mundo ao cemitério da Vila Nova Cachoeirinha.

DIA 27 DE ABRIL, DOMINGO:

00h (meia-noite)

ZÉ RAMALHO no Palco São João: Av. São João com Rua Aurora.

ALUCARDA – Alucarda, la hija de las tinieblas (México – Juan López Moctezuma – 1978) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

FILME CLÁSSICO DE TERROR COM TRILHA SONORA EXECUTADA AO VIVO em frente ao cemitério da Vila Nova Cachoeirinha.

01h

PAUL DI’ANNO na praça da República.

02h

O SANTO CONTRA AS MULHERES VAMPIRO – Santo contra las Mujeres Vampiro (México – Alfonso Corona Blake – 1962) – sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

03h

DERRICK GREEN, ANDREAS KISSER E CONVIDADOS na Praça da República.

O SOM NOSSO DE CADA DIA ( SNEGS – 1973) no Teatro Municipal.

04h

SANGUE DE VIRGENS – Sangre de vírgenes (Argentina – Emilio Vieyra – 1967) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

KROMA (quarteto musical erudito com distorções de guitarras elétricas) na Casa das Rosas.

06h

LE FRISSON DES VAMPIRES (França – Jean Rollin – 1971) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

CAFÉ DA MANHÃ na Casa das Rosas.

08h

EVIL OF DRACULA (Japão – Michio Yamamoto – 1974) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

09h

O TEATRO MÁGICO no Palco São João: Av. São João com Rua Aurora.

KORZUS na praça da República.

10h

VAMPYROS LESBOS (Alemanha/Espanha – Jesus Franco – 1971) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

12h

CACHORRO GRANDE na praça da República.

A ORGIA NOTURNA DOS VAMPIROS – The Vampires’ Night Orgy (Leon Klimovski – 1973) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

13h

BALLET STAGIUM no Palco de Dança do Anhangabaú.

14h

ARNALDO ANTUNES na praça da República.

LADY VAMPIRE – Onna kyuketsuki (Japão – Nobuo Nakagawa – 1959) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

15h

ORQUESTRA IMPERIAL no Palco São João: Av. São João com Rua Aurora.

A CASA É UM PALCO (sarau com o coletivo Vacamarela) na Casa das Rosas.

16h

LOBÃO na praça da República.

O ÊXTASE DO VAMPIRO – Fluch der schwarzen Schwestern (Alemanha – Joseph Sarno – 1973) — sessão cinematográfica sob a laje da praça Roosevelt.

17h

INEZITA BARROSO NO BAILE DE BAMBAS: Av. Rio Branco.

FERNANDA TAKAI na Av. Ipiranga, esquina com Rua Araújo.

18h

ULTRAJE A RIGOR na praça da República.

DE PURO GUAPOS no Auditório Simón Bolívar, Memorial da América Latina.

É claro que muitas coisas não estão listadas aqui, mas você pode baixar a programação completa, em pdf, aqui.

Mal vejo a hora! Quem sabe te vejo por lá?

Por Darlene Carvalho

DOIS MINUTOS PARA A MEIA-NOITE!

Dois minutos para a hora que marca o início do dia 02 de Março, tão esperado pelas 42 mil pessoas esgotaram os ingressos para o show do Iron Maiden. Aqueça os ouvidos! O trânsito da região será alterado neste domingo a partir das seis da manhã. Veja a notícia aqui

Os portões serão abertos ao público a partir das 15h no Parque Antártica: Avenida Francisco Matarazzo, 1.705, Água Branca. Tel (11) 6846-6000. A estação de trem e metrô mais próxima é a Barra Funda. Vários ônibus passam pelo local. Veja aqui ou ligue para 156 e peça informações.

Vai ficar aonde? Saiba como acessar a área reservada para você assistir ao show da Donzela de Ferro! 

Arquibancada, cadeira coberta e cadeira descoberta: pela Avenida Francisco Matarazzo, 1705.
Pista e pista especial: pela Rua Turiassu, 1.840
Cadeira descoberta especial: pela Rua Padre Antonio Tomás, 182
Portadores de necessidades especiais: pela Rua Turiassu, 1.800

Fonte: Folha Online Ilustrada.

Até lá! Será o melhor show do Iron Maiden!

Por Darlene Carvalho

MENOS DE UMA SEMANA PARA O SHOW DO IRON MAIDEN!


Clique aqui para baixar o pôster da turnê Somewhere Back in Time World Tour 2008.

Está chegando o dia do show do Iron Maiden! Será no próximo domingo, às 20h, no Palestra Itália. Mal posso acreditar! Sabia que em Porto Alegre os fãs farão até marcha?

Só para lembrar, segundo o Idealismo de Buteco, Powerslave, Somewhere In Time e Seventh Son Of A Seventh Son são os álbuns que farão parte do provável set list dos shows aqui no Brasil. Saiba o que eles tocaram na Índia e o set list que rolou no Japão em matérias publicadas por Tadeu Salgado do Agenda do Headbanger no Whiplash.

Se você ainda está em busca de ingressos, confira os comentários de alguns usuários do agendacult que estão vendendo ingressos e disponibilizaram emails ou telefones para contato. Vale a pena averiguar a informação.

Até domingo!

Por Darlene Carvalho