MARATONA INFANTIL NO MIS

Olha essa programação imperdível pra criançada nesse final de semana!

maratona-infantil-mis.jpg

O MIS realiza a última edição do ano da Maratona Infantil com uma programação completa e gratuita para crianças e famílias.

Um dos destaques é o Show Badulaque, uma apresentação musical divertida e original com o duo Julia Pittier e Daniel Ayres – integrantes do Palavra Cantada. Apresentando um repertório autoral, os arranjos da dupla são compostos a partir da utilização de instrumentos não convencionais, percussão corporal, sapateado, violão elétrico, piano e efeitos eletroacústicos. As letras das músicas focam na criatividade, na curiosidade e na inteligência da criança. A atração acontece às 12h e também às 16h, no Auditório MIS (172 lugares).

Muito queridos pelo público da Maratona Infantil, os cientistas malucos da Mad Science marcam presença nesta edição com a Oficina Brincando com o Ar. As crianças vão aprender, brincar e se divertir com diversos experimentos malucos que envolvem o elemento ar. De forma lúdica e com as mãos na massa (ou melhor, no ar), os participantes irão perceber que, apesar de não podermos ver ou sentir o seu cheiro, o ar pode ser sentido, está em todo o lugar, ocupa espaço e tem até peso. As crianças verão e farão experiências incríveis, como marshmallows que mudam de tamanho com a força do ar e bolhas de sabão quadradas. A atividade acontece no segundo andar, em quatro horários: 10h30, 12h, 13h30, 15h30.

Oficinas
Diversas oficinas para toda família também merecem destaque, como: Zen Kids – Yoga e meditação; Arte Colaborativa; e Circo. Já na Oficina Apresentador Mirim, que acontece às 11h, 13h, 14h e 15h, os pequenos poderão experimentar um dia na pele de Silvio Santos – em homenagem à exposição sobre o apresentador que o MIS abre no dia 7 de dezembro. As crianças serão apresentadoras infantis no mini estúdio montado na sala da Oficina, com cenário e luzes especiais. Após serem maquiados, os participantes irão apresentar o pequeno quadro do programa com blazer, gravata, microfone e gel no cabelo no melhor estilo Silvio Santos. Os familiares poderão gravar o vídeo com seus celulares, levando uma incrível lembrança pra casa.
Figurinhas
Desde o ano passado, o MIS criou um espaço fixo de Troca de Figurinhas, para que as crianças (e adultos) possam compartilhar suas coleções e trocar suas figurinhas repetidas, dos mais variados álbuns. Além disso, em cada edição da Maratona há distribuição gratuita de um álbum diferente. A atividade acontece na área externa, das 10h às 16h. Em parceria com a Panini, nesta edição haverá quatro álbuns para distribuição: Cards Princesa, Disney Gogo’s, Naruto Shippuden e Disney English Frozen.
Completando o passeio, uma feirinha gastronômica estará disponível durante todo o dia aos visitantes: Bigorna Food Truck (lanches); My oh My (milk-shake); Mini Gulaz (doces);Pipocas Juquinha; e Fly chips (batatas no palito).
— Release Mis —

O QUÊ? QUANDO?

Maratona Infantil

Domingo, 11 de Dezembro de 2016

  • 10h às 16h
    Ponto para doação de brinquedos – Hall de entrada
  • 10h às 16h
    Espaço para troca de figurinhas – Hall de entrada
  • 10h às 16h
    Oficinas de circo | Com a Cia Estripulias Imagináveis – Tenda área externa
  • 10h às 16h
    Visita guiada + oficina na exposição O tempo de Amyr Klink | Com Núcleo Educativo – Exposição Foyer Térreo
  • 10h30, 12h, 13h30, 15h30
    Oficina Brincando com o Ar | Com Mad Science – Foyer 2º andar
  • 11h, 13h e 15h
    Contação de historia | Com a Cia do Mar – Auditório 2° andar
  • 11h, 13h e 15h
    Espetáculo O Rato que queria voar | Com a Cia Circo Oriri – Palco área externa
  • 11h, 13h, 14h e 15h
    Oficina de apresentador Mirim – Sala de Interfaces
  • 11h, 12h, 14h e 15h
    Oficina Zen Kigs – Yoga e meditação – Sala Educativo
  • 12h e 16h
    Intervenção de Mágicas cômicas | Com Cia Carolipa e Bartô – Área externa
  • 12h e 16h
    Show Badulaque – Auditório MIS


QUANTO?

Grátis


ONDE?

Mis – Museu da Imagem e do Som

Avenida Europa, 158, Jardim Europa, São Paulo – SP, Brasil.

As seguintes linhas de ônibus servem à região do museu:
107 T-10 Metrô Tucuruvi – Pinheiros
930P- 10  Term. Pq D. Pedro II – Pinheiros
908T- 10  Term. Pq D. PedroII – Butantã (circular)
7181 -10 Cidade Universitária – Term. Princ. Isabel
Para mais informações sobre trajeto de ônibus consulte o SPTrans pelo telefone 156 ou acesse http://www.sptrans.com.br
O MIS também está próximo das estações Consolação (linha verde) e Faria Lima (linha amarela) do Metrô.

Publicação: Darlene Carvalho
Anúncios

‘É MESMO UMA PALHAÇADA’ NO SESC

A TRUPE DUNAVÔ APRESENTA O ESPETÁCULO “É MESMO UMA PALHAÇADA” NO SESC SÃO CAETANO

O público do grande ABC e região terá a oportunidade de conhecer o trabalho da Trupe Dunavô, uma das grandes revelações do teatro infantil e jovem do ano de 2015. No dia 13 de maio, o grupo apresenta o espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, no SESC São Caetano.

trupe-dunavo- Foto Cristiana Fabrício (2).JPG

Foto: Cristiana Fabrício

Esse espetáculo, que já foi apresentado em diversas cidades de São Paulo, faz referência à memória do circo, divertindo o público com números autorais e clássicos da palhaçaria circense. Se você ainda não conhece o trabalho destes palhaços, se programe e vá conferir!

Sobre a Trupe Dunavô

trupe-dunavo- Foto Cristiana Fabrício (3).JPG

Foto: Cristiana Fabrício

A Trupe Dunavô, formada por Renato Ribeiro, Gis Pereira e Gabi Zanola, estará na cidade de São Caetano no dia 13 de maio, para apresentar o espetáculo É mesmo uma Palhaçada, na área de convivência do SESC São Caetano. A trupe tem uma história de longa data com a cidade, tendo já se apresentado em importantes eventos como: Revirando São Caetano, Dia de Brincar São Caetano do Sul, III e IV Entoada Nordestina SCS, Brilha São Caetano, Virada Cultural Paulista de São Caetano do Sul, Jogos Estudantis de São Caetano do Sul, Comemoração de 45 anos da Fundação das Artes de São Caetano do Sul, entre outros.

Após circular por diversos espaços, a Trupe Dunavô retorna à cidade, com seu espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, que passou por uma nova direção artística, e volta totalmente repaginado. Com nova trilha sonora, figurino, cenário e roteiro, a trupe convida o público para uma grande viagem no tempo, através de uma imersão na memória do circo.

O espetáculo “É mesmo uma Palhaçada”, traz a divertida história de três palhaços, que chegam para se apresentar e descobrem que estão no lugar errado. Em meio a essa grande confusão, os palhaços tentam consertar a situação, disfarçar o ocorrido e entreter os espectadores com suas ideias mirabolantes, porém muito atrapalhadas. Através de suas maravilhosas habilidades, eles provocam inúmeras situações inusitadas, mas as coisas não acontecem como o esperado e é aí que a brincadeira começa.

Com números clássicos da palhaçaria circense, mesclado às cenas de autoria do grupo, brincando entre o novo e o já consagrado pelos mestres do picadeiro, a trupe diverte o público e garante boas risadas.

trupe-dunavo- Foto Cristiana Fabrício (4).JPG

Foto: Cristiana Fabrício

Com o espetáculo “É mesmo uma palhaçada” a Trupe DuNavô se apropria da linguagem circense em seu caráter lúdico estimulando a imaginação dos espectadores – sejam eles crianças ou adultos – de forma acolhedora e generosa, sem a mínima distinção. Dessa forma, promovem um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura popular, relembrando clássicos e convidando o público a reviver os grandes e tradicionais circos do passado.

trupe-dunavo-foto-Julio Leão (3).jpg

Além deste trabalho, a Trupe Dunavô tem em seu histórico uma aclamada temporada no Centro Cultural São Paulo no ano de 2015, quando surpreendeu a todos com uma delicada fábula chamada Refugo Urbano, que arrebatou o público, esgotando ingressos na Sala Jardel Filho (a maior do Centro Cultural São Paulo, com cerca de 320 lugares). Nessa temporada de estreia de seu primeiro espetáculo totalmente autoral, atraiu também os olhares da crítica especializada, recebendo duas indicações para o Prêmio São Paulo de Incentivo ao Teatro Infantil e Jovem, nas categorias Melhor Atriz (Gabi Zanola) e Prêmio Sustentabilidade, categoria com a qual foi premiado. Em uma votação especial, organizada para escolher os melhores do ano, o espetáculo foi ainda eleito pelos leitores do Guia Folha como Melhor Espetáculo Infantil do Ano de 2015.

trupe-dunavo-foto-Julio Leão (6).jpg

Se você ainda não conhece o trabalho deste grupo, que é uma das grandes revelações do teatro infantil e jovem do ano de 2015, não perca esta oportunidade! A apresentação acontece no dia 13 de maio, às 20h00, na área de convivência do SESC São Caetano e a entrada é gratuita.

Mais informações nas redes sociais da Trupe Dunavô:

 

trupe-dunavo-foto-Julio Leão (5).jpg

SINOPSE – É MESMO UMA PALHAÇADA

Um grupo de palhaços chega de uma turnê internacional de seu fabuloso espetáculo. Partindo de um cortejo, eles convidam o público a assistir esse grande show de variedades. Ao chegar ao local da apresentação, eles percebem que o cenário montado pertence a outro grupo e que eles foram parar em cidade errada, porém, os seguidores do cortejo estão na expectativa e o show tem que acontecer!

Os palhaços passam a vasculhar esse cenário desconhecido e a “improvisar” cenas com os diferentes objetos encontrados. Passeando por ilusionismo, mágica, dança e demais variedades circenses, eles se revezam apresentando cenas clássicas e autorais, arrancando boas gargalhadas! E convidam o público para um verdadeiro resgate da memória do circo, valorizando a cultura e proporcionando uma vivência no ambiente circense, que não deve ser esquecida.

trupe-dunavo-foto-Julio Leão (4).jpg


O QUÊ?

Espetáculo: É Mesmo Uma Palhaçada, com a Trupe Dunavo.

Duração: 50 minutos.Classificação: Livre.

QUANDO?

Sexta-feira, 13 de maio de 2016, às 20h.

QUANTO?

Entrada Franca

ONDE?

SESC São Caetano – Área de Convivência

R. Piauí, 554 – Santa Paula, São Caetano do Sul – SP

Telefone: (11) 4223-8800


Colaboração de Luciana Gandelini| Publicação de Darlene Carvalho

A LENDA DO CIGANO E O GIGANTE NO SESC PINHEIROS

Com direção de Kleber Montanheiro e texto de Paulo Rogério Lopes, o Sesc Pinheiros estreia dia 19 de julho de 2015, o espetáculo infantil 

A lenda do cigano e o gigante

 A-LENDA-DO-CIGANO-E-O-GIGANTE

De país em país há mais de dez séculos, os ciganos colorem o planeta com suas caravanas, músicas, danças, e tradições. Entretanto, muito do que é divulgado sobre eles é resultado de pesquisas científicas realizadas por outras pessoas. Ou seja, pouco é comentado sobre o ponto de vista do próprio povo, da riqueza do conto transmitido de geração em geração, do valor da sabedoria dos mais velhos e da graça da história ao pé do ouvido – algo fundamental em uma etnia de tradição tipicamente oral.

Hoje, calcula-se que existam de 2 a 5 milhões de ciganos espalhados pelo mundo, principalmente na Europa Central. E, por onde passaram, os ciganos misturavam suas lendas às histórias locais com narrativas em versões diversas.   

No conto de tradição oral O Cigano e o Gigante, por exemplo, o cigano enfrenta inimigos diferentes, prováveis e improváveis, de vários cantos do mundo. Em um local, encara um dragão; no outro, diabos. Na dramaturgia de Paulo Rogério Lopes, o adversário é um gigante muito forte que jamais havia encontrado um cigano pelo caminho. É da aventura promovida nesse encontro que surge e história do espetáculo, com prodígios e assombramentos sobrenaturais que saltam aos olhos a cultura vibrante. 

Sinopse

Um jovem cigano é escolhido para sair em busca de comida para a sua caravana. No caminho, ele encontra uma pastora e lhe dá todas as suas joias em troca de queijos, leite e outros mantimentos – mas o que ele não sabia era que toda aquela comida estava no lombo de uma cabrita, capturada anteriormente por um gigante perigoso. Ao tentar libertar a cabrita, o cigano e a pastora também acabam caindo nas garras do gigante e terão que unir inteligência, esperteza e criatividade para não virarem o jantar do grandalhão. 

O Autor – Paulo Rogerio Lopes

Paulo Rogério Lopes é natural de Novo Horizonte/SP e, desde 1994, vem atuando na cena teatral paulista como Diretor e Dramaturgo ligado a diversos grupos e linguagens.

Como dramaturgo destacam-se os premiados “À La Carte” e “Piratas do Tietê – o Filme” (co-autoria com Laerte) – ambos com a Cia. La Mínima, e os recentes “Crônicas de Cavaleiros e Dragões” (SESI/Paulista), “Rita Lee Mora ao Lado” (direção Débora Dubois e Márcio Macena), e, “Procurando Luiz” (direção de Gustavo Kurlat) e “Classificados” (direção de Domingos Montagner). Escreveu para companhias como Nau de Ícaros, Linhas Aéreas, Barracão Teatro e Cia. da Revista. Teve textos de sua autoria dirigidos por: Ivaldo Bertazzo (“Mãe Gentil”), Renata Mello (“O Animal na Sala”), Carla Candioto (“Galinhas Aéreas”) e Tiche Viana (“A Lenda do Amor Entristecido”). Participou do núcleo dramatúrgico da Cia do Latão e como dramaturgo da EAD/USP.

Como Diretor destacam-se: “Athletis” (Cia La Mínima); “O Conto do Reino Distante” e “As Três Penas do Rabo do Grifo” (Cia Faz e Conta). É Dramaturgo e Diretor dos espetáculos musicais da Série “Aprendiz de Maestro” (TUCCA – Sala São Paulo). Atualmente encontram-se em andamento os projetos: “Reconstrução” e  “O Navio Fantasma” (ambos com direção de Kleber Montanheiro) e “Banho&Tosa” (Boa Cia –  direção de Francisco Medeiros).

Em 1997 recebeu o Prêmio “Mambembe” de Melhor Autor por  “O Pallácio Não Acorda”. Em 2001, o espetáculo com seu Texto “À La Carte” – recebeu os prêmios: EmCena Brasil / Min. da Cultura – Funarte para Montagem e Circulação; Panamco e Prêmio APCA de Melhor Espetáculo Juvenil. Em 2003 o espetáculo de coautoria com Laerte: “Piratas do Tietê – O Filme” recebeu os prêmios: Coca-Cola / Femsa e APCA de Melhor Espetáculo Jovem. Em 2011 o espetáculo de sua autoria: “O Tribunal de Salomão” recebeu o prêmio Coca-Cola / Femsa de Melhor Produção. Em 2014, o espetáculo “As Três Penas do Rabo do Grifo” – texto coescrito com Ana Luísa Lacombe e direção sua – recebeu o APCA de melhor Espetáculo Infantil de Contação de História. 

O Diretor – Kleber Montanheiro

Ator, autor, diretor cênico, cenógrafo, figurinista e iluminador têm em sua formação experiência profissional com importantes nomes da cena artística nacional: Gianni Ratto, Patrício Bisso, Wagner Freire, Roberto Lage, José Possi Neto, entre outros. Formado pelo Teatro-escola Célia Helena, dirigiu entre outras peças: O Mambembe, de Arthur Azevedo; O Rouxinol, de Cássio Pires, baseado no conto homônimo de Hans Christian Andersen; Marias do Brasil, de Marília Toledo e Rodrigo Castilho. Atuou em Uma Rapsódia de Personagens Extravagantes, direção de Cristiane Paoli-Quito; A Cor de Rosa, de Flavio de Souza, direção de William Pereira; Buster – O Enigma do Minotauro, com o grupo XPTO, recebendo indicação ao prê- mio Apetesp de melhor ator.

Ganhou os prêmios APCA 2008 por Sonho de Uma Noite de Verão e Femsa 2009 por A Odisseia de Arlequino, ambos de melhor diretor. Foi indicado ao prêmio CPT 2012 pela direção de Cabeça de Papelão e vencedor dos prêmios APCA e Femsa 2012 pelos cenários e figurinos de A História do Incrível Peixe Orelha.

Dirigiu em 2013, no Teatro Popular do SESI: Crônicas de Cavaleiros e Dragões, de Paulo Rogério Lopes, inspirado no livro A Saga de Siegfried, de Tatiana Belinky, pelo qual recebeu o Prêmio Femsa 2014 de melhor Iluminação.

Sua última direção para o teatro foi para a obra de Chico Buarque de Hollanda, Ópera do Malandro, que estreou no CCBB – SP em agosto de 2014 e ainda cumpre temporada no novo Espaço Cia. da Revista, na Santa Cecília, SP. Dirige artisticamente a Cia da Revista com repertório de quatro espetáculos: Cada Qual no Seu Barril, Carnavalha, Kabarett e Cabeça de Papelão. Foi integrante do projeto de humanização hospitalar Doutores da Alegria, de 1993 a 2003.

Criou cenário, figurino e luz do espetáculo Misery, com Marisa Orth e Luis Gustavo; Cada um com seus ‘pobrema’, de Marcelo Médici; cenário e iluminação de Madame de Sade, direção de Roberto Lage, Macbeth, direção de Regina Galdino, entre muitos outros. Escreveu e dirigiu o espetá- culo Tem Francesa no Morro, com a Cia As Graças, que cumpriu temporada no Centro Cultural São Paulo e no projeto Circular-Teatro.

Concebeu com Marília Toledo o projeto Clássicos para Menores, uma trilogia de espetáculos cômicos clássicos, onde dirigiu O Doente Imaginário, de Molière; Sonho de uma Noite de Verão, de Shakespeare; e A Odisseia de Arlequino, uma commedia dell’arte inspirada nos canovaccios italianos.

Recebeu indicações ao prêmio Femsa por Chapeuzinho Vermelho (figurinos-2001); O Rouxinol (iluminação e figurinos-2002); Marias do Brasil (figurinos-2003); Amazônica (cenário e iluminação-2005); O Doente Imaginário (cenário-2007) e Sonho de uma Noite de Verão (figurinos e direção-2008). 

 

Ficha técnica

Ideia e pesquisa: Deborah Corrêa e Elder Fraga.

Texto: Paulo Rogerio Lopes.

Direção: Kleber Montanheiro.

Elenco: Nicolas Trevijano, Niveo Diegues, Erika Altimeyer e Joaz Campos.


O QUÊ?

Peça teatral: A Lenda do Cigano e o Gigante

Recomendação etária: acima de 5 anos. Duração: 55 minutos.

QUANDO?

19/07 a 30/08. Domingos, às 15h e às 17h.

QUANTO?

R$ 17,00 (inteira)

R$ 8,50 (meia: estudante, servidor de escola pública, + 60 anos, aposentados e pessoas com deficiência).

R$ 5,00 (credencial plena: trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo matriculado no Sesc e dependentes).

Para crianças até 12 anos: grátis.

Bilheteria: Terça a sábado das 10h às 21h. Domingos e feriados das 10h às 18h.

ONDE?

Sesc Pinheiros. Auditório (3º andar).
Rua Paes Leme, 195, Pinheiros, São Paulo, SP. Telefone: 11 3095.9400.

Estacionamento com manobrista: Terça a sexta, das 7h às 22h; Sábado, domingo, feriado, das 10h às 19h. Taxas / veículos e motos: Matriculados no Sesc: R$ 6,00 nas três primeiras horas e R$ 1,00 a cada hora adicional. Não matriculados no Sesc: R$ 8,00 nas três primeiras horas e R$2,00 a cada hora adicional. Para atividades no Teatro Paulo Autran, preço único: R$ 6,00.

Colaboração de Daniele / Canal Aberto | Publicado por Darlene Carvalho

FAMÍLIA MAM — MARÇO 2015

mam

Publicado por Darlene Carvalho

O MAM fica no parque Ibirapuera, portão 3. E na internet também www.mam.org.br

EXPOSIÇÃO DE BRINQUEDOS ARTESANAIS NA CAIXA CULTURAL SÃO PAULO

brinquedos-a-mao

O Quê?

Exposição: Brinquedos à mão — Coleção Saluá Chequer

Quando?

Começou no dia 11 de Outubro, continua até 07 de Dezembro de 2014.

Terça a domingo, das 9h às 19h.

Quanto?

Grátis

Onde?

Caixa Cultural São Paulo

Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo – SP

Publicado por Darlene Carvalho

ESPETÁCULOS PARA ADULTOS E CRIANÇAS NA CAIXA CULTURAL

VRUM + VRUMVRUMZINHO

De 03 a 12 de Outubro de 2014, quinta-feira a domingo, às 19h15.

vrum

Dois espetáculos multimídia, sendo um para adultos e outro voltado para o público infantil. As performances abordam a saturação e o movimento das cidades contemporâneas.

O Quê? Quando?

VRUM

— Dias 3, 4, 5, 9, 10 e 11 de Outubro às 19h15.
VRUMVRUMZINHO

— Dias 3, 4, 5, 9, 10, 11 de Outubro às 14h30. Dia 12 de Outubro, dia das crianças, às 10h30 e 16h30.

Classificação indicativa: VRUM (12 anos) / VRUMVRUMZINHO (Livre)

Quanto?

Grátis — Ingressos disponíveis 1h antes do evento.

Onde?

Caixa Cultural São Paulo

Praça da Sé, 111 – São Paulo – SP

Publicado por Darlene Carvalho

BRUXAS, BRUXAS E MAIS BRUXAS!

O espetáculo “Bruxas, Bruxas…e mais Bruxas!” aborda o universo fantástico, mágico e até divertido destas personagens tão presentes no imaginário universal. Bruxas de diferentes origens e tradições se dirigem a um encontro anual para trocar receitas, feitiços e histórias. Esta montagem demarca os 15 anos de existência do grupo “As Meninas do Conto”.

As apresentações fazem parte de um intercâmbio entre o SOBREVENTO e as Meninas do Conto, que prevê apresentações e oficinas públicas e abertas, nos espaços de ambas as companhias. As atividades integram o projeto DE LÁ PRÁ CÁ DE CÁ PRÁ LÁ — expansão, circulação, intercâmbio e formação de público na trilha Leste Sul, realizado pelas Meninas do Conto no âmbito do Programa Municipal de Fomento ao Teatro para a Cidade de São Paulo e estão inseridas na Semana Mundial do Brincar, uma semana de mobilização promovida pela Aliança pela Infância que pretende contribuir para o aumento da sensibilização e da consciência sobre a importância do brincar e o respeito que devemos ter por esta ação.

O SOBREVENTO é um núcleo da Cooperativa Paulista de Teatro. Continue reading →