PROJETO ANALISA A CENSURA A LIVROS DE AUTORES BRASILEIROS DURANTE A DITADURA

Uma das primeiras providências dos regimes autoritários é restringir a liberdade de expressão e opinião. Trata-se de uma forma de dominação pela coerção, limitação ou eliminação das vozes discordantes.  Durante a ditadura militar brasileira (1964-1985) cerca de 140 livros de autores brasileiros foram oficialmente vetados pelo Estado.

Doutora em comunicação pela PUC-SP, a professora Sandra Reimão apresenta, no dia 19 de maio, no Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, parte dos resultados de um projeto que visou fazer o levantamento sistemático das obras censuradas durante a ditadura e traçar um panorama da atuação censória do governo militar em relação a livros, destacadamente obras de autores brasileiros.

A pesquisadora analisou especificamente os casos de Feliz Ano Novo e O cobrador, de Rubem Fonseca, Zero, de Ignácio de Loyola Brandão, Dez histórias imorais, de Aguinaldo Silva, Em câmara lenta, de Renato Tapajós, e os contos Mister Curitiba, de Dalton Trevisan.

Como fonte básica dos dados, a pesquisa utilizou o arquivo de pareceres da Divisão de Censura de Diversões Públicas (DCDP), órgão do Ministério da Justiça, que a partir de 1970 passou a exercer a censura a livros e revistas.

Sandra Reimão é doutora em Comunicação pela PUC-SP, com estágio pós-doutoral na Ecole des Hautes Etudes en Sciences Sociales. É professora livre docente da USP e autora do livro Repressão e resistência – censura a livros na ditadura militar.

 Sobre o CPF-Sesc
Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.
Além do Curso Sesc de Gestão Cultural – que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas – a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas.

O QUÊ?

Repressão e Resistência: censura a livros na ditadura militar brasileira

Recomendação etária: 16 anos. Número de vagas: 70.

Atividade com tradução em libras. Solicitação deve ser feita no ato da inscrição, com no mínimo dois dias de antecedência da atividade.

QUANDO?

Dia 19 de maio de 2016. Quinta, das 19h às 21h.

QUANTO?

R$ 15 (inteira); R$ 7,50 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública); R$ 4,50 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

ONDE?

Informações e inscrições pelo site (sescsp.org.br/cpf) ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.

Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.


Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30.
Telefone: 11 3254-5600

Informações e inscrições pelo site → sescsp.org.br/cpf — ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.


Colaboração de Rita Solimeo Marin | Publicado por Darlene Carvalho

ENCONTROS SOBRE DIREITOS HUMANOS E JUVENTUDE

Sesc e Núcleo de Estudos da Violência da USP realizam encontros sobre direitos humanos e juventude

Sérgio Adorno, Marcelo Batista Nery e Eduardo Marangoni Canesin, Bruno Paes Manso estão entre os palestrantes.

O Centro de Pesquisa e Formação do Sesc, em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da USP, realiza, de 9 a 18 de maio, a série de encontros Direitos Humanos e Juventude, que visa discutir as várias relações entre juventude, violência, lei, intolerância e estereótipos midiáticos.

A série aborda como a intolerância e a delinquência afetam a socialização e percepção dos jovens; o diálogo sobre o processo de aprendizagem das normas e leis entre jovens; o crescimento e a queda dos homicídios dolosos e as razões para a variabilidade das taxas desses crimes na capital paulista; os jovens como notícia e como produtores de notícia.

Entre os palestrantes estão os sociólogos Sérgio Adorno, Marcelo Batista Nery e Eduardo Marangoni Canesin, os pesquisadores da NEV-USP, Aline Mizutani eRenan Theodoro, o cientista político e jornalista Bruno Paes Manso, e o professor Vitor Souza Lima Blotta.

Confira a programação:

Segunda-feira, 09/05/2016

Violência, anestesia moral e socialização de jovens na contemporaneidade.

Como entender os discursos de ódio e tentativas de redução da maioridade penal? Quais os efeitos das diferentes expressões de intolerância (como bullyng, preconceitos, humilhações) sobre a formação e socialização desses grupos sociais?

Com Sérgio Adorno, Professor Titular e Diretor da FFLCH/USP e Coordenador Científico do NEV-USP. Doutor em Sociologia pela USP, com pós-doutorado pelo Centre de Recherches Sociologiques sur le Droit et les Institutions Pénales, na França.

 

Quarta-feira, 11/05/2016

Juventude, autoridade e socialização legal

Debate com pesquisadores sobre como os jovens aprendem a se relacionar com as normas, as regras e as autoridades sociais. Neste processo de aprendizado, a qualidade das interações com as autoridades é fundamental.

Com Aline Mizutani, pesquisadora do NEV-USP, mestre em Psicologia pela USP.

Com Renan Theodoro, pesquisador do NEV-USP, mestre em Sociologia pela USP.

Segunda-feira, 16/05/2016

Homicídio e cultura da violência: as condicionantes dos assassinatos dos jovens paulistanos

O questionamento das explicações para o crescimento dos homicídios, sua concentração em locais específicos da cidade de São Paulo e a queda dos homicídios verificada posteriormente.

Com Bruno Paes Manso, Doutor em Ciência Política pela USP. Atualmente realiza pesquisa de Pós-Doutorado no NEV/USP. Jornalista.

Com Marcelo Batista Nery, Doutorando em Sociologia na USP (com doutorado sanduíche em UC Berkeley). Atualmente presta consultorias, ministra cursos de curta duração e realiza pesquisas no NEV/USP.

Quarta-feira, 18/05/2016

Jovens na mídia, mídias da juventude e cidadania

Os jovens estão na mídia, muitas vezes sendo noticiados com vieses tendenciosos. Além disso, também são produtores de conteúdo, possuindo seus próprios meios e mídias. Em debate, os dois fenômenos e suas relações com a cidadania.

Com Vitor Souza Lima Blotta, professor de Ética e legislação do Jornalismo na ECA-USP e pesquisador associado ao NEV. Vice coordenador do grupo Jornalismo, Direito e Liberdade (ECA-USP/IEA-USP).

Com Eduardo Marangoni Canesin, sociólogo formado pela USP, pesquisador do NEV-USP e pesquisador-graduado do grupo Jornalismo, Direito e Liberdade (ECA-USP/IEA-USP).

Sobre o CPF-Sesc

Inaugurado em agosto de 2012, o Centro de Pesquisa e  Formação do Sesc é uma unidade do Sesc São Paulo voltada para a produção de conhecimento, formação e difusão e tem o objetivo de estimular ações  e desenvolver estudos nos campos cultural e socioeducativo.

Além do Curso Sesc de Gestão Cultural – que visa a qualificação para a gestão cultural de profissionais atuantes no campo das Artes, tanto de instituições públicas como privadas – a unidade proporciona o acesso à cultura de forma ampla, tematicamente, por meio de cursos, palestras, oficinas, bate-papos, debates e encontros nas diversas áreas que compreendem a ação da entidade, como artes plásticas e visuais, ciências sociais, comportamento contemporâneo e cotidiano, filosofia, história, literatura e artes cênicas.


O QUÊ?

Direitos Humanos e Juventude

Recomendação etária: 16 anos. Número de vagas: 30.

Atividade com tradução em libras. Solicitação deve ser feita no ato da inscrição, com no mínimo dois dias de antecedência da atividade.

QUANDO?

Dias 9, 11, 16 e 18 de maio de 2016. Segundas e quartas, das 19h30 às 21h30.

QUANTO?

R$ 50,00 (inteira); R$ 25,00 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública);  R$ 15,00(trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

ONDE?

Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar.


Horário de funcionamento: de segunda a sexta, das 10h às 22h. Sábados, das 9h30 18h30.
Tel: 3254-5600

Informações e inscrições pelo site → sescsp.org.br/cpf — ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.


Colaboração de Rita Solimeo Marin | Publicado por Darlene Carvalho

PALESTRA SOBRE TURISMO COMUNITÁRIO NA AMÉRICA LATINA

Turismo comunitário na América Latina: reflexões e práticas

Esse é o nome da palestra que o sociólogo equatoriano Carlos Maldonado apresenta no Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc.

Em dois encontros, dias 10 e 11 de agosto, Maldonado fala sobre questões relacionadas ao universo do turismo de base comunitária, como a oferta turística das comunidades rurais como opção consistente com as novas dinâmicas do mercado, a valorização da identidade cultural promovida por seus produtos e as restrições que essas comunidades enfrentam ao serem excluídas das instituições e discriminadas no acesso aos recursos produtivos, serviços públicos e mercados. A palestra conta com tradução simultânea.

Sobre Carlos Maldonado

Doutor em Sociologia pelo Instituto de Planejamento Urbano de Paris. Diploma de Estudos Econômicos e Sociais pela Universidade da Sorbonne. Arquiteto-urbanista formado na Universidade de Cuenca.

Sobre o CPF Sesc 

O Centro de Pesquisa e Formação é uma unidade do Sesc São Paulo cuja proposta é constituir um espaço articulado entre produção de conhecimento, formação e difusão nas áreas da Educação, Cultura, Arte, Gestão e Mediação, por meio de cursos, palestras, encontros, nacionais e internacionais, bem como estudos, pesquisas e publicações.

Implantada em agosto de 2012, a unidade amplia o compromisso do Sesc em São Paulo no campo da cultura, compreendendo a educação como uma ação permanente. É composto por três núcleos: o Núcleo de Pesquisas se dedica à produção de bases de dados, diagnósticos e estudos em torno das ações culturais e dos públicos. O Núcleo de Formação promove encontros, palestras, oficinas e cursos. O Núcleo de Publicações e Difusão se volta para o lançamento de trabalhos nacionais e internacionais que ofereçam subsídios à formação de gestores e pesquisadores.


O QUÊ?

PALESTRA: Turismo comunitário na América Latina: reflexões e práticas

Recomendação etária: 16 anos.

QUANDO?

Dias 10 e 11 de agosto de 2015.

Segunda e terça, das 19h às 21h30.

QUANTO?

R$ 30 (inteira)

R$ 15 (aposentado, pessoa com mais de 60 anos, pessoa com deficiência, estudante e professor da rede pública).

R$ 9 (trabalhador do comércio de bens, serviços e turismo credenciado no Sesc e dependentes).

Inscrições pelo site ou nas unidades do Sesc no Estado de São Paulo.

Número de vagas: 30.

ONDE?

Centro de Pesquisa e Formação – CPF Sesc

Rua Dr. Plínio Barreto, 285 – 4º andar, São Paulo, SP. Telefone: (11) 3254-5600.

Colaboração de Rita de Cassia Solimeo Marin / Publicado por Darlene Carvalho

CIRCUITO SÃO PAULO DE CULTURA

circuito-sao-paulo

Domingo começa o Circuito São Paulo de Cultura com o show da ZAZ, Céu e Tulipa Ruiz no Auditório Ibirapuera às 18h. Entrada franca.

zaz-allianz

ZAZ

+

tulipa-ruiz

Tulipa Ruiz

+

Céu em show Nov/2012. Foto: Felipe Diniz / Uol Entretenimento

Céu

Confira aqui a programação riquíssimahttp://circuitospdecultura.prefeitura.sp.gov.br/agenda/

Marcelo-Jeneci-foto-Daryan-Dornelles

Marcelo Jeneci, 04/04/2015, 20h, Teatro Império, Grátis (retirar ingresso 1h antes).

Publicado por Darlene Carvalho

BATE-PAPO SOBRE FOTOGRAFIA NA CAIXA

unnamed

O QUÊ?

Bate-papo: “Limiares entre a fotografia documental e artística”

QUANDO?

Sábado, 28/02/2015, das 16h às 18h.

QUANTO?

Grátis. Reserve sua vaga por telefone (11)3321-4400.

ONDE?

Praça da Sé, 111, São Paulo, SP.

Publicado por Darlene Carvalho

PALESTRAS SOBRE LEGENDAGEM E AUDIODESCRIÇÃO NA CINEMATECA

cinemateca

Clique aqui e acesse o site da Cinemateca para saber mais detalhes.

Publicado por Darlene Carvalho

ANIVERSÁRIO DE SÃO PAULO COM MUSTACHE E OS APACHES NA CAIXA

MUSTACHE-E-OS-APACHES

FOTO: Allyson Alapont

Em clima de lançamento de vinil, a banda “Mustache e os Apaches” comemora o aniversário de São Paulo com show gratuito e palestra na Caixa Cultural em 25 de janeiro. O disco apresenta duas músicas, “Chuva Ácida” no lado A e “Todo Trem” no lado B. Grátis!

A banda reúne cinco músicos inspirados pelas Jug Bands norte americanas e iniciou seu projeto apresentando-se nas ruas de São Paulo. A produção é da Dinâmica Agência de Cultura e o patrocínio da Caixa Econômica Federal.

“Mustache e os Apaches”, que começou na base do improviso, acabou cruzando o oceano. Mesmo antes de lançar seu primeiro disco, o grupo realizou diversos shows pela Europa, em cidades como Paris, Londres, Bruxelas e Praga. Depois disso, em turnê pelo Brasil, apresentou-se na CAIXA Cultural Recife e em diversas outras casas de show, teatros e centros culturais.

Atualmente, a banda prepara o seu próximo disco, híbrido na sua essência, pois conflui as influências do blues, New Orleans Jazz e do Folk Norte-Americano, em uma sonoridade contemporânea e legitimamente brasileira.

PALESTRA

Palestra sobre criação musical e música independente com os integrantes do grupo, no dia 25 de janeiro.

SOBRE A BANDA

A banda é formada pelos gaúchos Pedro Pastoriz (Voz, Violão e Banjo), Tomás Oliveira (Contrabaixo e voz), Axel Flag (Voz e percussão), Jack Rubens (Bandolim); e por Lumineiro, de Belo Horizonte, que toca Washboard – uma antiga tábua de lavar roupa.

Depois de tomar conta das ruas da capital paulista, tocando instrumentos acústicos e sem amplificadores; carregando seus instrumentos nas costas, Pedro Pastoriz, Alexandre Bandeira, Lumineiro, Jack Rubens e Tomas Oliveira continuam a percorrer os caminhos alternativos do folk urbano.

A banda também criou recentemente a trilha sonora da minissérie “Lili a Ex”, inspirada na tirinha de Caco Galhardo que está no ar no GNT.  

O QUÊ? QUANDO?

  • Show da banda Mustache e Os Apaches
    Classificação indicativa: livre
    Duração: 60 minutos
    Domingo, 25 de Janeiro de 2015, às 19h15.
  • Palestra
    Domingo, 25 de janeiro, das 17h às 18h
    Vagas: 80
    Classificação: livre (sem pré-requisitos)
    Preço: Entrada franca: retirar ingresso na bilheteria no dia do espetáculo, a partir das 12h.

QUANTO?

Grátis (os ingressos poderão ser retirados na bilheteria, no dia do espetáculo, a partir das 12h).

Capacidade: 80 lugares

ONDE?

CAIXA Cultural São Paulo

Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo/SP

Informações: Tel: (11) 3321-4400

Publicado por Darlene Carvalho

Colaboração de Miriam Bemelmans