SINTONIZAH NO CCSP

SINTONIZAH_JAMAICA_E_AQUI

Sintonizah é um documentário que revela a sintonia protagonizada pelo reggae no Brasil e Jamaica. O filme leva o espectador as raízes do gênero, que se infiltrouem São Luís do Maranhão, para vivenciar a cultura local, respondendo questões sobre a força de sua identidade em populações distintas.

SINTONIZAH_RADIO SINTONIZAH_STRANGER_COLE

Dirigido por Lecuk Ishida e Willy Biondani, Sintonizah é o resultado do encontro de grandes figuras da música Jamaicana e apaixonados pelo reggae, que se aconchegam na pista de dança dos guetos, envolvidos pelas batidas, e fazem da música sua profissão, e razão de viver.

A descoberta nessa viagem musical é costurada pelos depoimentos de Stranjah (Alex Herbst), negociador de discos raros e pesquisador do filme, pelos músicos ícones Stranger Cole e Lone Ranger, que conduziu a equipe pelos pontos mais relevantes do cenário do reggae, como a visita ao Studio One para o bate-papo com o proprietário Courtney Dodd, no local onde ídolos do gênero como Bob Marley and the Wailers produziram seus discos. Além do panorama apontado pela antropóloga e autora do livro Global Reggae, Carolyn Cooper.

SINTONIZAH_RANDYS_CARL_LAUDER SINTONIZAH_VITROLA

Em São Luiz, as informações se conectam com declarações de Fauzi Beydoun, integrante da banda brasileira Tribo de Jah, o DJ Serraleiro, um dos pioneiros do reggae no Brasil, Tarcisio Selektah, professor e pesquisador da UFMA, entre outros. Juntos contam sobre o alcance acidental das ondas de rádio da Jamaica nos aparelhos de rádio da cidade e como o ritmo gerou uma identificação semelhante nos guetos independente das fronteiras.

“É fascinante descobrir que certas manifestações como o reggae são tão fortes. Apesar da distância geográfica e códigos diferenciados, a música criou uma identificação entre as pessoas, que acabam vivendo da mesma maneira inspiradas pelo som”, comenta Lecuk Ishida.

SINTONIZAH_CAROLYN_COOPER

Produzido pela Biondani com apoio da BossaNovaFilms e incentivo do ProAc – Programa de Fomento ao Cinema, o média-metragem será exibido pela primeira vez em sessão gratuita na terça-feira, 27 de janeiro, às 20h no Centro Cultural São Paulo, sala Paulo Emílio. A estreia será seguida de debate com o diretor Lecuk Ishida e equipe.

SINTONIZAH_LONE_RANGER

Curiosidades de produção

  • O nome Sintonizah surgiu inspirado pela fonética do Patoá Jamaicano, idioma falado na Jamaica, que inclui a letra “h” no final das palavras.
  • Durante as entrevistas, ouviram sobre colecionadores e comerciantes obcecados pelo ritmo. Para garantir exclusividade dos seus discos, muitos compram todas as cópias disponíveis, a prensa e a matriz para destruição, garantindo a raridade.
  • Durante a produção, Lecuk Ishida e equipe foram guiados e conduzidos de carro pela cidade por Lone Ranger. Em uma das saídas para gravação, um casal de policiais abordou o cantor e perguntou o que estava acontecendo, quando viu o veículo cheio. O músico respondeu “It’s Brazilian reggae!”. Quando os dois policiais foram conferir dentro do carro, deram de cara com quatro orientais, o diretor e seus assistentes e caíram na gargalhada.

Brasil/Jamaica, 54 minutos, livre.

Sinopse

Foi por acidente que as ondas de rádio jamaicanas atravessaram o mar do Caribe e trouxeram o reggae ao Brasil, sintonizando nas rádios do Maranhão. O documentário Sintonizah embala o espectador em uma viagem entre Kingston, na Jamaica, e São Luís do Maranhão para transmitir as emoções de quem vivência o reggae e, também, revelar como a cultura maranhense incorporou o gênero musical e transformou a cena local na ‘”Jamaica brasileira”.

Sobre os diretores

Lecuk Ishida teve o seu primeiro contato com vídeo no início dos anos 80 com o programa “Grito da Rua” (Gazeta). Nos anos 90 aprimorou seus conhecimentos morando 10 anos fora do Brasil, onde estudou na UCLA (LA) e Silicon Graphic (Japão). Em 2000, já no Brasil, trabalhou em muitas produções publicitárias e televisivas com perfil documental. Logo começou a dirigir algumas de suas produções, entre elas: DVD ao vivo da banda Sepultura, DVD ao vivo Trio Virgulino, programa “Ecoprático” (Cultura), “Tempos de Escola” (Futura), “Feito no Brasil” (Nat Geo), “Pratique Ecosport” (Fox), “Nosso Planeta” (Record), “Globo Ecologia” (Globo), entre outros. Hoje, investe na criação de programas de TV, trabalhos autorais de dramaturgia e documentários.

Reconhecido internacionalmente pela direção de filmes de beleza e estética apurada, Willy Biondani começou sua carreia como fotógrafo de publicidade e editoriais de revistas de moda e beleza. Trabalhou para conceituadas revistas em Paris, onde também se tornou diretor de publicidade. Recebeu prêmios no Art Directors, Clio, Cannes e Anuário do CCSP. Em 2005, integrou a edição especial “200 Best Ad Photographers Archive” e fundou a BossaNovaFilms com seus sócios. Mais tarde, dirigiu o média-metragem “Diadorim e Riobaldo”, baseado no livro “Sertão Veredas”, de Guimarães Rosa, o DVD “Roger100Ceni” sobre o goleiro Rogério Ceni, entre outros. Atualmente está trabalhando para o lançamento de “Tudo bom, tudo bem”, seu primeiro longa.

SINTONIZAH_DIRETOR_LECUK_ISHIDA

Ficha técnica

Direção: Lecuk Ishida e Willy Biondani

Produtora: Bionandi

Produção: Denise Gomes e Paula Cosenza

Pesquisa: Stranjah (Alex Herbst)

Roteiro: Fernando de Castro Américo

Direção de Fotografia: Ernesto Kobayashi

Montagem: Thiago Lucena

Finalização de Áudio: INPUT | Artesonora

Participações: os músicos Lonne Ranger e Stranger Cole, a antropóloga e escritora Carolyn Cooper, o proprietário do “Studio One” Courtney Dodd, o proprietário da gravadora “Randy’s 17th North Parade” e da “Impact” Caurl Lauder, o antropólogo e professor Carlos Benedito, o integrante da banda “Tribo de Jah” Fauzi Beydoun, os DJs e colecionadores Serraleiro e Stranjah (Alex Hurst), e Tarcisio Selektah, professor e pesquisador da UFMA.

SINTONIZAH_EQUIPE_MARANHAO

O QUÊ?

Sintonizah

(Brasil, 2015, 54min, DCP)
direção: Lecuk Ishida
Foi por acidente que as ondas de rádio jamaicanas atravessaram o mar do Caribe e trouxeram o reggae ao Brasil, sintonizado nas rádios do Maranhão. O documentário Sintonizah embala o espectador em uma viagem entre Kingston, na Jamaica, e São Luís do Maranhão para transmitir as emoções de quem vivencia o reggae e, também, revelar como a cultura maranhense incorporou o gênero musical e transformou a cena local na “Jamaica brasileira”.

Classificação: Livre

QUANDO?

dia 27/1 – terça – 20h

Após a sessão, haverá uma conversa com o diretor Lecuk Ishida.

QUANTO?

Entrada franca – retirada de ingressos: a bilheteria será aberta somente no dia do evento e em seu horário de funcionamento (terça a sábado, das 13h às 21h30; e domingos, das 13h às 20h30).

(99 lugares)

ONDE?

CENTRO CULTURAL SÃO PAULO – Sala Paulo Emilio Salles Gomes 

Rua Vergueiro, 1000 – Paraíso – CEP 01504-000 – São Paulo – SP

Colaboração de Fernanda Abigail

A LINGUAGEM VISUAL APLICADA AO CINEMA

A LINGUAGEM VISUAL APLICADA AO CINEMA

O Curso “ A Linguagem Visual Aplicada ao Cinema” será ministrado pelo professor doutor Sérgio Meurer no Museu da Imagem e do Som – MIS SP.

Continue reading →

PROGRAMAÇÃO CAIXA CULTURAL – 25 A 30/03/2014

image001

 

 

O QUE TEM NA CAIXA ATÉ DOMINGO?

O QUE TEM NA CAIXA ATÉ DOMINGO?

CINEMA NO BIXIGA

CINEMA NO BIXIGA

Flyer de divulgação do Cine-Teatro Denoy de Oliveira

A programação desse ano finalizou-se no dia 21/12 com o filme O Trem (The Train — EUA, 1964). Durante o ano houveram diversas apresentações de filmes muito interessantes, antigos e clássicos. O Cine-Teatro Denoy de Oliveira dedicou seus sábados à Mostra Subversiva, sempre com entrada franca

Já tem uma sessão programada para 2014, em 18 de Janeiro: A noite dos generais (The night of the generals, de Anatole Litvak. Inglaterra, França/ 1967). Duração: 148 minutos. Elenco: Philippe Noiret, Peter O’Toole, Omar Sharif, Joanna Pettet. Argumento original: Hans Hellmut Kirst. Música original: Maurice Jarre.

No dia do aniversário de São Paulo, 25/01/2014, tem a sessão Ministério do Medo (Ministry of Fear, de Fritz Lang. EUa, 1944).

Argumento original: Graham Greene. Música original: Victor Young. Duração: 86 minutos. Elenco: Stephen Neale, Marjorie Reynolds, Carl Esmond, Hillary Brooke.

A programação divulgada no flyer tem sessão prevista até 01 de  Fevereiro. Trata-se de um filme alemão de 1974, de Frank Beyer: Jacob, o mentiroso (Jakob, der Lügner). Duração de 100 minutos. Elenco: Vlastimil Brodsky, Erwin Geschonneck, Manuela Simon, Henry Hübchen.

Uma rápida pesquisa sobre o assunto suscitou minha vontade de ler o livro — dá tempo de lê-lo até lá! \o/

livro

Descobri inclusive que o filme inteiro está no Youtube (sem legenda), mas aproveitemos a oportunidade para chamar os amigos e apreciar um cineminha, né? Tão bom! Anota na sua agenda pra não esquecer! =)

O Quê? Quando?

Cinema no Bixiga – Mostra Subversiva
Sábados, às 17h.

  • 18/01/2014
    A Noite Dos Generais (The Night Of The Generals, de Anatole Litvak)
  • 25/01/2014
    Ministério do Medo ( Ministry of Fear, de Fritz Lang)
  • 01/02/2014
    Jakob, O Mentiroso (Jakob, der Lügner. De Frank Beyer)

Quanto?

Grátis.

Onde?

Cine-Teatro Denoy de Oliveira
Rua Rui Barbosa, 323 – Bela Vista – São Paulo – SP (Sede Central da UMES)
Informações: (11) 32897475
Clique aqui para acessar e curtir a página no Facebook!

Publicado por Darlene Carvalho

300 ANOS DE CINEMA — CURSO NA CINEMATECA

Acabo de receber um email com o alerta sobre o curso 300 ANOS DE CINEMA que começa amanhã na Cinemateca. Ainda tem lista de espera… Vale a pena tentar!
Abraços,
A seguir, o email na íntegra:
***

300 ANOS DE CINEMA

07  a 22 de setembro

O advento do cinema na França e nos Estados Unidos, 1905-1914 – Curso do Professor Richard Abel.

Para ilustrar os primeiros passos da indústria cinematográfica, a Cinemateca Brasileira confirma sua vocação formativa e participante do debate audiovisual, trazendo ao público o curso do historiador estadunidense Richard Abel, autor de livros indispensáveis aos estudos do primeiro cinema, como The Red Rooster Scare (Berkeley, 1999). Pensando a indústria em termos de produção e distribuição, Abel faz da análise concreta do cinema estadunidense e francês plataforma para examinar o momento preciso em que a dominação francesa dos meios cinematográficos deu lugar à hegemonia estadunidense. Com essa disposição, Abel lança mão de grande volume de documentos, além dos próprios filmes, para recuperar períodos de intensa transformação social do comércio cinematográfico, pondo na balança o papel de gêneros como o melodrama, o policial e o western, etc, no delineamento de um novo contexto urbano e industrial. Mais do que saudar o advento do cinema, Abel põe em pauta a mercantilização do tempo livre e sua domesticação, tema central de  seu livro Americanizando o filme – ensaios de história social e cultural do cinema, traduzido por Augusto Pacheco Calil e publicado pela Cinemateca Brasileira.
Carga horária do curso: 12 horas ( palestras + programas com curtas)
Período: 08/09/2013 a 11/09/2013
Vagas: 100
Inscrição por e-mail: contato@cinemateca.org.br
Data inicial das inscrições: 05/09/2013
Lista de espera: bilheteria da Cinemateca Brasileira, nos dias 08 e 09 de setembro das 15h as 17h.
Palestras com tradução simultânea

CRONOGRAMA DO CURSO

DIA 08.09 – DOMINGO
SALA PETROBRAS
17h30 – Programa Richard Abel 1
19h30 – Programa Richard Abel 2
DIA 09.09 – SEGUNDA 
SALA PETROBRAS
18h00 – Palestra “O Império Pathé-Frères 1905-1909”
20h30 – Programa Richard Abel 3
DIA 10.09 – TERÇA
SALA PETROBRAS
18h00 – Palestra “Um Cinema ainda não norte-americano, 1905-1909”
20h30 – Programa Richard Abel 4
FOYER PETROBRAS
20h30 – Lançamento do livro “Americanizando o Filme – Ensaio de História Social e Cultural do Cinema, de Richard Abel” com tradução de Augusto Pacheco Calil.
DIA 11.09 – QUARTA
SALA PEROBRAS
16h00 – Palestra “O Cinema torna-se norte-americano, 1910-1914”
18h30 – Programa Richard Abel 5

MADAME MANIFESTO

MADAME MANIFESTO — BAZAR DANÇANTE

Começa amanhã o projeto MADAME MANIFESTO, bazar dançante no Madame Satã; noitada com muita música, bazar, exposição de arte, moda. A partir das 21h30 terá a exibição do filme “A VOLTA DA PAULICÉIA DESVAIRADA”, de  Lufe Steffen.

EXISTE VIDA INTELIGENTE NA NOITE DE SP!

DJS: Nene KrawitzRicardo BassettoVitor AngeloDjGé RodriguesLuiz Careca,Alexandre BispoMarcos Zomignani. Performance de Bia Blundi.

Estarei lá fazendo um live paint! \o/

Veja a programação do mês de Agosto:

MADAME11

O Quê?

MADAME MANIFESTO 

Quando?

Todas as quintas-feiras.

Confirme sua presença no evento via Facebook!

Quanto?

Entrada Franca até meia-noite.

Após meia-noite: R$ 20 (entrada) ou R$ 40 (consumação)

Onde?

MADAME

Rua Conselheiro Ramalho, 873 – Bela Vista – SP

Telefone: (11) 2592-4474

Por Darlene Carvalho